Três meses depois, a questão é a mesma: é um problema legal ou um problema de ética?