Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Na sua página na rede social Facebook a Frente Povo Sem Medo divulgou um manifesto no qual afirma que “inicia o ano de 2017 com o compromisso de combater nas ruas com a maior unidade possível todos os ataques do Governo [Michel] Temer, em especial as mudanças no sistema de reforma e das leis trabalhistas”.

Já a Frente Brasil popular destacou, também na sua página na Internet, que as manifestações de hoje são “a primeira mobilização unificada deste ano e abre o calendário da agenda intensiva que as organizações farão para denunciar e lutar contra os retrocessos que penalizam os trabalhadores (…) e também desnacionaliza o Estado Brasileiro”.

As duas organizações marcaram protestos para pelo menos 23 Estados do país.

Em São Paulo, a maior cidade do Brasil, além de uma manifestação na Avenida Paulista, a partir das 16:00 (19:00 em Lisboa), na região central, os trabalhadores dos transportes coletivos prometeram aderir com paralisações.

No Rio de Janeiro o protesto está marcado para defronte da igreja da Candelária.

Em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, o Sindicato dos Metroviários (transportes) anunciou que vai paralisar suas atividades durante 24 horas.

Será o primeiro conjunto de manifestações pelo Brasil organizado pelas duas frentes, que organizaram os principais protestos contra o processo de destituição da ex-Presidente Dilma Rousseff, no ano passado.