Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

A informação foi disponibilizada depois de a jornalista Rachel Maddow, do canal de televisão MSNBC, ter dito que obteve parte da declaração fiscal de 2005 do Presidente, preparando-se para discutir o documento num programa na terça-feira à noite (hoje em Lisboa).

Trump recusou-se a divulgar as suas declarações de impostos durante a campanha eleitoral para as presidenciais norte-americanas do ano passado, quebrando uma tradição de décadas nos EUA.

O agora Presidente dos Estados Unidos da América justificou a recusa dizendo que estava a ser alvo de uma auditoria pelo IRS (Internal Revenue Service) e que tinha sido aconselhado pelos seus advogados a não divulgar a informação. Especialistas e funcionários do IRS disseram, porém, que as auditorias não impedem os contribuintes de divulgar os seus rendimentos.

Antecipando-se ao programa de Maddow, a Casa Branca disse que publicar os rendimentos do Presidente seria ilegal.

“Sabes que estás desesperado por audiências quando estás disposto a violar a lei e avançar com uma história sobre duas páginas de declaração de impostos de há mais de uma década”, disse a Casa Branca, num comunicado.

A divulgação não autorizada de uma declaração de impostos federal é crime, mas Maddow argumentou que a MSNBC estava a fazer valer o seu direito, ao abrigo da Primeira Emenda, de publicar informação em nome do interesse público.