Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Segundo um comunicado da ASAE, na ação de fiscalização, dirigida a operadores económicos que comercializam queijos de origem animal, foram também apreendidos “5.000 rótulos e duas máquinas de rotulagem, tudo num montante estimado de 4.500 euros, por suspeita de contrafação, imitação e uso ilegal de marca”.

De acordo com o comunicado, na operação realizada pela Unidade Regional do Sul da ASAE foi também detetada uma situação de “falsificação de documentos”, através da utilização indevida de Números de Controlo Veterinário (NCV) e data de durabilidade de produtos alimentares.

A ASAE refere ainda que foram detetados outros ilícitos, como a “manipulação de produtos lácteos sem o competente licenciamento e a ausência de documentos de registo e acompanhamento de produtos prontos a entrar no circuito comercial”.