Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

O deslizamento de terras soterrou várias casas improvisadas e edifícios de cimento.

O aterro tem sido um depósito para o lixo da capital desde há mais de 50 anos, com uma interrupção nos últimos anos.

O residente Assefa Teklemahimanot afirmou à Associated Press que o deslizamento de terras ocorreu, provavelmente, porque a lixeira voltou a ser o destino do lixo nos últimos meses, quando os agricultores impediram o vazamento em áreas vizinhas.

Assefa estimou que cerca de 150 pessoas estavam no local quando o deslizamento ocorreu.

O presidente da Câmara de Adis Abeba, Diriba Kuma, tinha afirmado hoje que 15 corpos foram recuperados desde sábado, mas um novo balanço dá conta de pelo menos 46 mortos.