Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

“A Crimeia faz parte da Ucrânia. Os Estados Unidos voltam a condenar a ocupação russa da Crimeia e apelam ao seu fim imediato”, afirmou o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano Mark Toner num comunicado que assinala o terceiro aniversário da ocupação da Crimeia por Moscovo.

“As nossas sanções relacionadas com a Crimeia vão manter-se até a Rússia devolver o controlo da península à Ucrânia”, indica o comunicado.

A Rússia anexou a península ucraniana após uma intervenção militar e um referendo, que foi rejeitado pela comunidade internacional.

“Os Estados Unidos não reconhecem o ‘referendo’ da Rússia de 16 de março de 2014, nem a sua tentativa de anexação da Crimeia e contínua violação da lei internacional”, disse Toner.

“Voltamos a afirmar o nosso compromisso com a soberania e integridade territorial da Ucrânia”, pode ler-se.

No comunicado, os Estados Unidos também apelam à Rússia para que “ponha fim às suas tentativas de suprimir a liberdade de expressão, de reunião pacífica, de associação e de religião” entre os tártaros da Crimeia, ucranianos étnicos, ativistas pró-ucranianos e jornalistas.

Os Estados Unidos e a União Europeia reagiram à anexação da Crimeia impondo sanções económicas à Rússia.