Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

A imagem, em que a chanceler empunha uma arma e tem uma cruz suástica no uniforme, ocupa grande parte da primeira página do jornal sensacionalista de direita Gunes (“Sol”), que escreve, em alemão: “#Frau Hitler” e chama Merkel de “tia feia”.

A Turquia e a Europa têm estado envolvidas numa crise diplomática após a Holanda e a Alemanha terem impedido ministros turcos de fazerem comícios junto das comunidades turcas nos seus países a favor do ‘sim’ no referendo do próximo mês que visa ampliar os poderes do Presidente Recep Tayyip Erdogan.

Erdogan tem acusado repetidamente os países europeus de atuarem como os “nazis” e a União Europeia avisou Ancara para moderar a sua linguagem.

O seu comportamento tem motivado reações fortes da Europa, com a Merkel e o presidente francês, Francois Hollande, a concordarem, num telefonema na quinta-feira, que os comentários são “inaceitáveis”.

Na primeira página, o jornal acusa Merkel de tentar ser líder de fascistas, criando um sentimento anti-Turquia usando a Áustria, a Holanda e a Bélgica “no quintal da Alemanha”.

“A Alemanha, que tem os braços abertos para organizações terroristas… está a tentar instigar toda a Europa contra a Turquia”, escreve o jornal.

A publicação surge dois dias depois de o jornal alemão Bild atacar Erdogan, acusando-o de “pôr em risco a estabilidade da Europa através do seu desejo de poder”.