Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Falando aos jornalistas no final da apresentação, a ministra afirmou que "vai entrar em funcionamento dentro de muito pouco tempo, o mais tardar em maio, o novo terminal de cruzeiros [de Lisboa], que tem uma dignidade, uma capacidade e condições de facto muito atrativas para esta atividade".

A ministra apontou também que o Governo espera "um crescimento acentuado do volume total de passageiros transportados", que se traduz num aumento "de 55% nos próximos dez anos" e "em matéria dos cruzeiros 'turnaround' ter também um acréscimo de quase 500%".

Intervindo na cerimónia, que decorreu na Gare Marítima de Alcântara, em Lisboa, a presidente da Administração do Porto de Lisboa, Lídia Sequeira, explicou o projeto.

Esta obra prevê um edifício com 13.800 metros quadrados, com capacidade para 800 mil passageiros ano, o que representa um aumento de 300 mil face aos números atuais.

O cais do novo terminal terá 1.490 metros quadrados e a infraestrutura permite o interface de 360 veículos ligeiros e 80 autocarros ou táxis turísticos.

"As gares atuais não têm condições para a tomada e largada de passageiros", que chegam ou partem em cruzeiros, acrescentou Lídia Sequeira.

Os objetivos desta nova infraestrutura, cujo edifício, na opinião da presidente da Administração do Porto de Lisboa, "tem características arquitetónicas interessantes", passam por "melhorar a operacionalidade, atratividade e qualidade do serviço", bem como "dotar o porto de uma infraestrutura moderna e eficiente".

Com um investimento privado de 22,7 milhões de euros, são esperados "efeitos diretos, indiretos e induzidos na economia de mais de 100 milhões de euros até 2020".

Os impactos passam ainda por promover também o "aumento do conforto para os passageiros" e "promover o porto de Lisboa como um 'green port' [porto verde], aumentando a sua atratividade".

A Estratégia para o Aumento da Competitividade Portuária 2017/2026 em todo o país prevê um investimento na ordem dos 2,1 e 2,5 mil milhões de euros, sendo que 746 milhões serão aplicados em diversas infraestruturas do porto de Lisboa.