Uma noite de eleições é, inevitavelmente, uma noite de números. Eis os principais deste escrutínio, escolhidos pelo SAPO 24.

68,7%

A percentagem de participação nas eleições foi a maior desde 1997, ano em que Tony Blair venceu as eleições pelo Labour.

201

O número de mulheres eleitas, 201, representa um recorde no parlamento britânico.

12

O número de lugares perdidos pelos Conservadores no Parlamento britânico, a julgar pelas últimas projeções, quando apenas faltam quatro círculos eleitorais por apurar.

2

O número de votos pelo qual o SNP (Partido Nacionalista Escocês) bateu o LibDem (Liberais-Democratas) no círculo eleitoral escocês de Fife North East.

10,8%

A percentagem de votos perdida pelo UKIP, que não consegue qualquer lugar no Parlamento, nem tão pouco atingir 2% de votos (ficou-se pelos 1,9%).

1.349.856

O número de votos que os Liberais-Democratas tiveram a mais que o Partido Nacionalista Escocês, quando faltam apurar os vencedores de quatro círculos eleitorais. Contudo, o LibDem conseguiu apenas 12 lugares no Parlamento, ao passo que o SNP chegou aos 35 (não obstante ter perdido 21 lugares face a 2015).

40,1%

A percentagem de votos estimada para o Labour de Jeremy Corbyn, o que representa o maior aumento (9,5%) de uma eleição para a seguinte desde 1945.

29

O número de lugares ganhos pelos Trabalhistas no Parlamento britânico, a julgar pelas últimas projeções, quando apenas faltam quatro círculos eleitorais por apurar.