• O que arde e se vê
    O que arde e se vê
    Entrámos no mais perigoso momento do drama dos incêndios de Verão. É quando se apaga lentamente da memória emocional a "chacina" de Pedrógão Grande, é quando se torna banal a abertura dos noticiários com paisagens que ardem, é quando já ninguém se im
  • O fim da memória
    O fim da memória
    Numa longa entrevista de José Mourinho que a RTP emitiu esta semana, às tantas, o entrevistador faz a pergunta óbvia: como gostaria o treinador de ser lembrado no futuro? Num dos seus muitos momentos de falsa ingenuidade e disparatada humildade - que
  • Uma “Gondola” que afunda
    Uma “Gondola” que afunda
    Há histórias que, de tão incongruentes com os tempos que vivemos, mais parecem episódios descoloridos do "Yes, Minister" – porém, sem ministros nem governos, mas com legislação, burocracia e empresas.
  • A comédia negra
    A comédia negra
    Como se regressasse de outro mundo, começo a observar, analisar, ler com maior atenção tudo aquilo que, no último mês, me passou ao lado. Costuma dizer-se que quando nos afastamos do nosso pequeno mundo, conseguimos ganhar vistas mais largas e relati
  • Dias cada vez mais comuns
    Dias cada vez mais comuns
    Há exactamente um ano estava em Manchester. Decidira, à última hora, festejar os 52 anos com o meu filho, que estuda na Universidade local, e por lá andei, numa cidade “cool” e muito acolhedora, onde se encontra tudo o que nos fascina em Londres, mas
  • A culpa foi do “nesting”
    A culpa foi do “nesting”
    Há pontarias tramadas. Decidi que este era o melhor momento – talvez o único, neste ano cheio - para tirar uns dias a praticar aquilo que sempre cultivei, mas agora tem nome: “nesting”. Não é bem “fazer Nestum” – expressão feliz, do nosso calão, que
  • Sem sombra de tranquilidade
    Sem sombra de tranquilidade
    Faz lembrar aquela anedota sinistra sobre o amor: "Então, mas você ama-a por amor, ou por interesse?" / "Olhe, amigo, deve ser por amor, que ela interesse não tem algum...". Assim olho eu, de forma simplória, para as eleições francesas, agora que “re
  • Profissão: olhar para o lado
    Profissão: olhar para o lado
    Há melhor do que haver quem nos deixe a pensar, num tempo em que nos desculpamos, por tudo e por nada, com a falta de momentos para “parar e pensar”? Gosto de ler alguns dos escritores, jornalistas e ensaístas que pontuam a revista de domingo do jorn
  • O livro aberto, o livre arbítrio
    O livro aberto, o livre arbítrio
    Li por estes dias “O Imenso Adeus”, de Raymond Chandler, um dos clássicos que tinha falhado, e para o qual a reedição da colecção “Vampiro” (renovada e recriada...), me acordou. Em boa hora e por menos de dez euros...
  • E uma vacina contra a ignorância?
    E uma vacina contra a ignorância?
    O ser humano tem este dom extraordinário de usar pesos e medidas diferentes para situações semelhantes, dando sentido à expressão “albardar o burro à vontade do dono”, e com isso justificando qualquer espécie de atitude. Até mesmo apanhar sarampo, do
  • Eles & Elas e nada disso
    Eles & Elas e nada disso
    “O nome dela é Pedro e ela é um monstro” – este título de uma matéria da última revista do Expresso, assinada por Christiana Martins, além de ter baralhado o corrector ortográfico do computador, remeteu-me para outras matérias que li na imprensa ingl
  • Às vezes a verdade parece “pós-verdade”
    Às vezes a verdade parece “pós-verdade”
    A chamada “pós-verdade” - a que chamo apenas, com maior rigor, mentira - anda de tal forma a cercar-nos, a instalar-se, e a fazer do seu pernicioso carácter um dado a ter em conta, e uma desconfiança permanente, que duvidei daquele vídeo que exibe a
  • Portas à solta
    Portas à solta
    A semana começou com o regresso ao pedaço de Paulo Portas, directamente da Mota-Engil e da petrolífera mexicana PEMEX (serão assim tão diferentes da Goldman Sachs de Durão Barroso, que aliás o convidou?), para nos iluminar sobre globalização, Trump,
  • Lisboa, 2017
    Lisboa, 2017
    Quando Pedro Passos Coelho confirmou o nome de Teresa Leal Coelho para a candidatura do PSD à Presidência da Câmara Municipal de Lisboa, garantiu uma série de premissas que podiam estar a escapar aos analistas: que Fernando Medina ganhou a “passadeir
  • Do poder ao pântano
    Do poder ao pântano
    A entrevista que o Dr. Pedro Santana Lopes deu à TSF e ao “Diário de Notícias”, no fim de semana passado, tem momentos hilariantes – ou de chorar, conforme queiramos olhar a política “à portuguesa” -, mas é tudo menos insignificante (junta com a de A
  • Números quadrados
    Números quadrados
    Sempre que se fala da pós-verdade, que mais não é do que a vontade de tornar factual o que é mentira, e se exibem as “notícias” inventadas por Donald Trump e a sua claque, tenho tendência a recuar no tempo e recordar que, no Liceu, umas das raras liç
  • As mãos que ardem no fogo
    As mãos que ardem no fogo
    Há uma expressão popular, muito usada para demonstrar a nossa confiança nos outros, que receio possa entrar em desuso para todo o sempre, seja em relação àqueles em quem acreditamos - mesmo sem conhecer, apenas por intuição e currículo -, seja em rel
  • Portugal moderno
    Portugal moderno
    Nos últimos dias, os media deram-nos conta de factos que, de uma vez por todas, comprovam que Portugal chegou ao primeiro mundo.
  • O “abismo” numa fotografia
    O “abismo” numa fotografia
    Há polémica sobre a fotografia do ano do World Press Photo. A foto, como já é sabido, é um instante do momento dramático em que um atirador isolado, Mevlut Mert Altintas, dispara sobre o embaixador russo na Turquia, Andrei Karlov, na inauguração de u
  • O "Dia da Rádio" chegou mais cedo
    O "Dia da Rádio" chegou mais cedo
    Na próxima segunda-feira, dia 13, assinala-se o Dia Mundial da Rádio, facto que ocorre pela terceira ou quarta vez - quando a UNESCO, tarde e a más horas, reconheceu a relevância do meio no universo da comunicação. No site da organização diz-se que o
  • A vida de cada um
    A vida de cada um
    Estou a ver na TV, num canal de notícias, uma curta troca de argumentos sobre a eutanásia. Estremeço. Antecipo o “amplo e profundo” debate que o Presidente Marcelo desejou há dois dias: vai dar asneira. Um dos intervenientes era mesmo o bastonário da
  • Um só Marcelo, um só Presidente
    Um só Marcelo, um só Presidente
    Em momentos mais insonsos dos meus dias, gosto de imaginar Cavaco Silva a observar Marcelo Rebelo de Sousa. Revejo aquela expressão, entre o enfastiado e o irritado, que tão bem marca o ex-Presidente, e um abanar de cabeça seguido do “Como é possível
  • Apenas um “bug”
    Apenas um “bug”
    Na véspera de tomar posse o mais odiado de todos os Presidentes democraticamente eleitos do Mundo, o que apetece dizer? Que odiar Donald Trump, dentro e fora dos Estados Unidos da América, não o impediu de ganhar uma eleição? Que estão certos aqueles
  • O medo
    O medo
    Vou acompanhando, online, o essencial do Congresso dos Jornalistas, e mantenho o que me levou a nem sequer tentar participar no evento - e teria de tentar muito, porque a Comissão Organizadora deixou de fora todos os que, nos últimos anos, deixaram d

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.