Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

NARRATIVA A NÃO PERDER

Chinese Super League (China)

É inevitável para qualquer português que pretenda acompanhar a Super Liga desviar as suas atenções para o trabalho de André Villas-Boas no Shanghai SIPG FC. O jovem técnico portuense tem ao seu dispor um autêntico elenco de luxo pelo que procurará, a curto prazo, terminar com a hegemonia do Guangzhou Evergrande, liderado por Luiz Felipe Scolari. Para além de uma óptima base de atletas nacionais como Wu Lei – o golden boy chinês da actualidade -, Yan Junling, Wang Shenchao, Fu Huan, Yu Hai, Cai Huikang e até Wei Shihao, extremo ex-Leixões SC, o plantel das Águias Vermelhas conta com vários extracomunitários de enorme calibre. Hulk e Oscar são, obviamente, os nomes mais sonantes, numa lista que ainda congrega OdilAkhmedov, Elkeson e… Ricardo Carvalho.

Major League Soccer (EUA)

Depois das recentes passagens por Barcelona e pela Argentina, Tata Martino aceitou o desafio de trabalhar nos Estados Unidos, ao leme do estreante Atlanta United. Construiu o plantel do zero, em estreita colaboração com o director desportivo Carlos Bocanegra, e a verdade é que esta parelha já conseguiu aliciar alguns nomes interessantes, sobretudo para assumir as missões ofensivas. A começar por Héctor Villalba, velocíssimo extremo argentino que exibiu o seu cariz promissor ao serviço do San Lorenzo. Outras figuras talentosas como Josef Martínez (ex-Torino), Kenwyne Jones (ex-Al Jazira) e Miguel Almirón (Lanús), fazem desta equipa de Atlanta uma séria ameaça (pelo menos em teoria), logo no seu primeiro ano de existência.

CANDIDATOS AO TÍTULO

Chinese Super League (China)

Guangzhou Evergrande e Shanghai SIPG. Por via de uma análise qualitativa às equipas, é perceptível a existência de outros potenciais candidatos, porém, estes são, de facto, os principais favoritos a conquistar o trono. A turma hexacampeã de Felipão manteve o seu núcleo praticamente intacto, à excepção de duas cirúrgicas aquisições, e promete continuar a sua senda vitoriosa sempre com o trio canarinho Paulinho-Ricardo Goulart-Alan em grande plano. Por outro lado, o investimento levado a cabo pelos rivais diretos triplicou a exigência das competições internas o que, somando à árdua e exigente Liga dos Campeões Asiáticos, torna a situação dos Tigres do Sul de certa forma delicada.

Já o Shanghai SIPG, empolgado pelo brilhante entrosamento do trio Oscar-Hulk-Elkeson, joga com um grande fator a seu favor: a pressão nula a que um outsider está sujeito. As frentes competitivas, essas, são exatamente as mesmas que as do seu rival directo.

Major League Soccer (EUA)

FC Dallas e Seattle Sounders. Antecipar campeões na MLS não é tarefa fácil, tendo em conta a equidade qualitativa que prevalece entre os diferentes emblemas. Para além disso, os Playoffs têm o condão de colocar equipas que se revelaram menos consistentes durante a Fase Regular, em pé de igualdade probabilística com outros mais favoritos. Ainda assim, é possível apontar dois principais favoritos à conquista do título. O primeiro é o campeão da Fase Regular em 2016, o FC Dallas, elevado ao grau de potência futebolística norte-americana nos últimos anos, graças ao trabalho do técnico colombiano Óscar Pareja. Dotado da melhor dupla de centrais da prova (Matt Hedges-Walker Zimmerman) e do criativo Mauro Díaz, os texanos reforçaram-se cirurgicamente com o internacional belga Roland Lamah e com o goleador por quem tanto ansiaram, Cristian Colmán.

Igualmente candidatos são precisamente os campeões em título, os Seattle Sounders, que fortaleceram um plantel que já era em 2016 substancialmente robusto. Clint Dempsey está de volta após um problema cardíaco que o afastou durante alguns meses, e terá o precioso auxílio de figuras proeminentes como Jordan Morris ou Osvaldo Alonso.

JOGADOR A OBSERVAR

Chinese Super League (China)

Wu Lei. Apelidado de Maradona chinês após a sua estreia em 2006, somente com 14 anos de idade, na terceira divisão, o veloz extremo do Shanghai SIPG, agora com 25,é visto como o grande diamante do futebol chinês. Desde 2013, data da ascensão da equipa à primeira divisão, Wu Lei tem sido constantemente alvo de destaque pela velocidade, técnica, agilidade e, acima de tudo, pela veia goleadora que abarca. Hoje, é quase impossível não encontrar o seu nome quer no topo da lista de melhores marcadores da Liga, quer no onze inicial da seleção nacional chinesa.

Major League Soccer (EUA)

Cyle Larin. Desde que se estreou no futebol profissional, em 2015, este avançado canadiano assumiu-se rapidamente como o melhor jogador jovem a pisar os relvados da MLS. Bateu o recorde de golos marcados por um Rookie (jogador de primeiro ano na liga americana) e já leva 32 tentos em 60 partidas ao serviço do Orlando City SC. Futebolista portentoso, de remate fácil, dificilmente aguentará muito mais tempo nos Estados Unidos. O futebol canadiano deposita fortes esperanças no futuro deste jovem, que já foi internacional em 19 ocasiões, com toda a legitimidade.

A PRINCIPAL TRANSFERÊNCIA

Chinese Super League (China)

Oscar. Descontente com a pouca utilização no Chelsea FC, Oscar abalou o mercado europeu ao rumar para o Shanghai SIPG por um valor a rondar os 60 milhões de euros, convertendo-se no jogador mais caro de sempre do futebol chinês. Não faltavam interessados nos serviços do médio brasileiro, sobretudo nas ligas europeias de topo, no entanto, o ambicioso projeto apresentado pelo clube teve um grande peso na sua decisão, como o próprio admitiu. Fora os valores, Oscar é, indubitavelmente, peça-chave na estratégia de André Villas-Boas.

Major League Soccer (EUA)

Romain Alessandrini. Destacou-se no Rennes, e as suas boas exibições fizeram com que o Marselha, clube por onde passou durante a formação, o contratasse em 2014. Contudo, a promessa que havia revelado anteriormente, acabou por não se confirmar na sua estadia de duas épocas e meia em Marselha. Perto de completar 28 anos, o extremo francês viu na proposta dos Los Angeles Galaxy uma forma de revitalizar a sua carreira. Veremos se o consegue fazer.

O CONTINGENTE PORTUGUÊS

Chinese Super League (China)

André Villas-Boas, Jaime Pacheco e Ricardo Carvalho são os intervenientes lusos da Super Liga 2017. O ex-técnico do Al-Shabab tem agora a oportunidade de dar seguimento ao seu trabalho no Tianjin TEDA, formação que afastou da despromoção na edição anterior a poucas jornadas do fim. A tarefa a repetir não será nada fácil, mas a qualidade de jogadores como John Obi Mikel, Nemanja Gudelj ou Brown Ideye pode, certamente, evitar males maiores para Jaime Pacheco, treinador campeão pelo Boavista em 2001.

Por outro lado, a contratação de Ricardo Carvalho visa, essencialmente, a transmissão da sua experiência aos restantes colegas. O veterano defesa terá muito pouco tempo de jogo no Shanghai SIPG, contudo, a sua função terá, dentro do plantel, um valor inqualificável para AVB.

Major League Soccer (EUA)

A quantidade de futebolistas lusos a actuar na MLS nunca chegou para encher um monovolume. Contudo, o aparecimento de novas empresas de educação especializadas em colocar jovens atletas nas universidades norte-americanas promete mudar esta realidade muito brevemente. Para já, no início de 2017, contam-se quatro jogadores portugueses no principal campeonato norte-americano. O lateral-direito Rafael Ramos caminha para a sua terceira temporada ao serviço dos Orlando City SC, ao passo que o defesa-central João Meira começa o seu segundo ano com a camisola dos Chicago Fire. Quanto a entradas novas, temos os casos de Gerso Fernandes (nasceu na Guiné-Bissau, mas tem dupla nacionalidade), reforço de peso do Sporting Kansas City, e ainda João Pedro, médio ex-Vitória de Guimarães que foi contratado pelos Los Angeles Galaxy.

O Fair Play é um projeto digital que se dedica à análise, opinião e acompanhamento de diversas ligas de futebol e de várias modalidades desportivas.

António Pereira Ribeiro é editor da Major League Soccer para o Fair Play e autor da rubrica "Soccer em Português"

Ricardo Lestre apelida a Chinese Super League de "New Dynasty". No Fair Play, assume funções de editor do campeonato chinês de futebol.