Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Na antevisão da partida com os ‘azuis’, Rui Vitória lembrou que é preciso ultrapassar a goleada sofrida na Alemanha, por 4-0, em nome dos "objetivos para conquistar" esta época, ou seja, o inédito tetracampeonato e a Taça de Portugal.

"Queremos ganhar todos os jogos, mas ao não ter acontecido é preciso ter cabeça fria e saber que há mais vida pela frente. Sei como os jogadores reagem e o que mais queremos é que o jogo venha para jogarmos em casa e com o nosso público", afirmou o treinador do Benfica, na conferência de imprensa, no Estádio da Luz.

O desempenho dos tricampeões nacionais em Dortmund foi alvo de críticas durante os últimos dias, mas Rui Vitória reiterou a sua tranquilidade, vincando que não mudaria muito em relação à estratégia adotada na segunda mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões.

"Vejo as criticas sempre como forma de aprendizagem, mas isso não me abala. Não são as criticas que me vão tirar o sentido do trabalho, da mesma forma que oiço elogios e recebo-os, mas passo à frente. Se fosse fácil chegar aos quartos de final ia lá muita gente. Não nos dá conforto nenhum porque queremos chegar lá mais vezes, mas há que perceber estas questões", disse.

O técnico ‘encarnado’ admitiu ainda que o erro também pode fazer parte da sua atividade: "Não estamos livres de errar, mas a visão do treinador é completamente diferente. Perante o que foi o jogo e as condições do adversário, hoje faria praticamente a mesma coisa com os jogadores que tinha à disposição."

Recusando um cenário de sequelas psicológicas sobre os seus jogadores pela eliminação das provas europeias, Rui Vitória aproveitou para enaltecer o percurso internacional do Benfica nas últimas duas épocas.

"Foi uma caminhada dentro do que podíamos fazer e que temos sentido como algo muito favorável. Não estamos satisfeitos e nem resignados, queremos lá voltar para o ano. Não recusámos qualquer competição, olhámos todas com uma grande vontade de ganhar", referiu.

Em relação ao embate com o Belenenses, o treinador do Benfica elogiou o crescimento do rival lisboeta, mas vincou a vontade de triunfar: "É um jogo que queremos ganhar, contra um adversário que tem feito uma campanha de qualidade, com processos mais assimilados, e que acrescentou jogadores que deram mais qualidade. Espero um jogo difícil."

Paralelamente, Rui Vitória evitou fazer comparações com o momento de maior fulgor do FC Porto, que subiu provisoriamente à liderança da I Liga e que irá defrontar na 27ª jornada.

"Quero é ganhar o jogo de amanhã [segunda-feira] e depois o do Paços de Ferreira. Faltam dez jogos, mais o da Taça e eventualmente a final. Serão 12 finais", rematou.

O tricampeão Benfica recebe o Belenenses, na segunda-feira, a partir das 20:00, no Estádio da Luz, em Lisboa, num encontro que vai ser arbitrado por Bruno Esteves, da associação de Setúbal.