Arranca hoje o campeonato do mundo de snooker. O Crucible Theatre, em Sheffield, Inglaterra, é palco da 40ª edição do torneio que dura 17 dias. Aos melhores 16 do ranking mundial juntaram-se outros 16 apurados do qualifying. A 1 de maio será conhecido o vencedor que receberá um prémio de 440 mil euros, restando para o finalista vencido, 190 mil euros. No total serão distribuídos mais de 2 milhões de euros naquele que é o mais antigo e prestigiado torneio mundial.

Mark Selby, inglês, campeão em título, duas vezes vencedor em Crucible, número um do ranking mundial de snooker irá hoje defrontar o irlandês Fergal O'Brien, que se qualificou após o mais longo “frame” (partida) da história: 2 horas, três minutos e 41 segundos. Selby que recentemente venceu, pela segunda vez, o Open da China, caso repita a vitória no Crucible, será o primeiro atleta a vencer os dois torneios no mesmo ano.

Aos 33 anos, se conseguir esse feito, entrará para uma galeria restrita de jogadores que desde que o torneio é realizado no Crucible (1977), apenas três conseguiram repetir títulos: Steve Davis (1983-84, 1987-89), Stephen Hendry (1992-96) e Ronnie 0’Sullivan (2012-13). Como curiosidade, nenhum repetiu o título no ano seguinte a ter conquistado o primeiro, facto que é conhecido como a “Maldição de Crucible”.

Com transmissão para Portugal no Eurosport, 135 horas de emissão, entre os nomes favoritos surgem O’Sullivan, que soma cinco títulos em Sheffield, Judd Trump, número dois da hierarquia, Neil Robertson, australiano, nº9 do ranking e o veterano escocês John Higgins (6º), que, em 2007, disputou com Mark Selby, a final que terminou mais tarde: passavam 54 minutos da meia-noite.

Na primeira ronda, o vice-campeão mundial, Ding Junhui terá duelo chinês com Zhou Yuelong. Ronnie O'Sullivan enfrenta Gary Wilson, Judd Trump terá pela frente Rory McLeod, Higgins disputará a passagem com Martin Gould. Neil Robertson defrontará Noppon Saengkham.

Um jogo de 15 bolas vermelhas, seis de cores e um árbitro que tem luvas brancas

Sob o olhar atento dos árbitros que com a luva branca marcam, limpam, põem e tiram as bolas da mesa de jogo de cor verde e com 12 pés de medida, evoluem 15 bolas encarnadas. Cada qual vale 1 ponto. Depois há seis bolas de cor, cada qual com a sua pontuação: amarela vale 2 pontos, verde (3), castanha (4), azul (5), cor-de-rosa (6) e a preta (7).

Explicando de uma forma simplista, de acordo com as regras, por cada bola encarnada que entra no buraco, o jogador deverá “atirar” a uma bola de cor. Depois das 15 bolas encarnadas entrarem no buraco, há que fazer pontaria, por ordem crescente, às bolas de cor. A pontuação máxima é de 147 pontos. No entanto, em circunstâncias muito raras, pode-se superar esta pontuação, quando se beneficia de uma falta cometida pelo adversário na vez anterior e se faz uma sequência superior a 143 pontos.

Vestidos a rigor, de calças e colete, e laço (que pode ser dispensado mediante atestado médico), os 32 jogadores terão atrás de si um público de 980 espetadores.

Campeão conhecido depois de 71 jogos

Nesta elite que disputa o campeonato do mundo, estão representados nove países. 16 jogadores nasceram em Inglaterra. Segue-se a aquela que é apontada por a próxima grande potência, a China, com seis, embora só dois estejam no top-16 mundial e quatro escoceses. Irlanda, Gales, Irlanda do Norte, Austrália, Tailândia e Bélgica estão representados com um só jogador.

Em relação a estreantes no campeonato do mundo, são cinco no total: Yan Bingtao, Zhou Yuelong, Noppon Saengkham, David Grace e Gary Wilson. Bingtao, 17 anos, será o segundo mais novo de sempre, atrás do belga Luca Brecel que esteve entre os melhores pela primeira vez com 17 anos e 45 dias, em 2012.

Conhecido como um dos desportos mais exigentes a nível psicológico, o campeão de snooker será consagrado após ganhar 71 jogos.

Os 1/16 de final serão jogados à melhor de 19 “frames”. Oitavos e quartos-de-final serão à melhor de 25. Ou seja, para vencer é preciso ganhar 13 partidas. Nas meias-finais do Mundial serão disputadas 33, sendo que a final, entre 30 de abril e 1 de maio, são 35 partidas.