Numa reunião extraordinária do Comité Executivo da Altice, que se realizou hoje em Pedrógão Grande, foi ativado um Gabinete Especial de reposição de serviços para coordenar os esforços desenvolvidos no terreno pelos cerca de 1000 profissionais - como, por exemplo, a implementação de feixes hertzianos para recuperação de infraestruturas físicas e móveis como solução de contingência para serviços prioritários; cedência de telefones satélite VSAT para servir as comunidades locais; e a colocação de unidades móveis em pontos estratégicos para reforço de meios da Proteção Civil.

A Altice comprometeu-se ainda a proceder à reposição de rede de cobre ardida e substituir parte por fibra ótica — mais de 1000 km de rede de cobre serão substituídos, de 22 concelhos dos distritos de Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Viseu e Leiria.

Alexandre Fonseca e Valdemar Alves - Pedrógão Grande

As linhas solidárias promovidas pela Altice/PT angariaram desde junho mais de 1.6 milhões de euros, valores já entregues às entidades que farão a gestão das necessidades junto daqueles que foram afetados.

Através dos “Pontos T”, os clientes MEO doaram 10.300 euros para as vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande, numa ação de troca de pontos com a AMI.

Fora ainda doadas 500 peças de mobiliário de escritório aos quatro concelhos com mais empresas afetadas: Oliveira do Hospital, Oliveira de Frades, Mira e Santa Comba Dão.

Para Alexandre Fonseca, CEO da Altice Portugal, “A Altice/PT não podia ficar indiferente" ao que aconteceu em Pedrógão Grande, pelo que as iniciativas agora anunciadas de apoio às populações afetadas "serão estendidas ao ano que vem, promovendo a proximidade, modernizando redes e aumentando capilaridade [da rede]".

(O SAPO 24 é marca de informação do Portal SAPO, propriedade da MEO, detida pela Altice)