Nesta edição do Garage Pitch 901, as startups convidadas tiveram três minutos para convencer três jurados e um host, que também não diz que não a uma boa oportunidade de negócio. Mas mais do que o tempo, o pitch é uma arte. É naqueles minutos que se consegue, ou não, convencer um investidor, seduzir um stakeholder (acionista). Na Tim's Garage há três minutos, 180 segundos, para pôr essa arte em prática.

Como todas as artes, os pitchs também têm segredos. Antes de se ligarem os faróis e de se carregar no REC, fomos pedir conselhos para o pitch perfeito a cada um dos jurados da segunda edição do Garage Pitch, transmitido em direto no SAPO 24.

Miguel Ribeiro Ferreira - ex-Shark Tank e dono da empresa Fonte Viva

créditos: SIC/DR

Conselho: Preparação. Treino, muito treino.

Tim Vieira - Investidor e antigo 'tubarão'

créditos: MadreMedia/DR

Conselho: É fazer aqueles primeiros 60 segundos, contar. Ter logo contacto olhos nos olhos com os jurados. Ganhar a simpatia deles.

Gonçalo Uva - ex-jogador de rugby e atual Product Manager na Case Imagine - Sports

créditos: FPR/DR

Conselho: Demonstrar confiança.

Stephan Morais - Venture Capitalist

créditos: Facebook/Stephan Morais/DR

Conselho: Explicar o problema que estão a querer resolver.