Em nota de imprensa, a comissão organizadora da Expofacic informa que a banda irlandesa - formada em 1989 e que atingiu o reconhecimento internacional na década de 1990, período em que lançou quatro álbuns de estúdio - sobe ao palco a 03 de agosto "a culminar a preenchidíssima agenda de uma tournée europeia que inclui atuações em Berlim, Paris, Bruxelas, Amesterdão, Londres, Milão e Madrid", entre outras cidades europeias.

"A avaliar pela força mobilizadora que o grupo tem evidenciado, o concerto de Cantanhede deixa antever uma assistência sem precedentes na Expofacic, tanto mais que a sua sonoridade bem distintiva no panorama da música internacional tem em Portugal uma imensa legião de fiéis seguidores", adianta.

Oriunda de Limerick, na zona centro-oeste da Irlanda, a banda da vocalista Dolores O'Riordan e que integra ainda o guitarrista Noel Hogan, o baixista Mike Hogan e o baterista Fergal Lawler é autora de temas como Linger", "Zombie", "Dreams", "Animal Instinct" ou "Just My Imagination" e vendeu mais de 40 milhões de álbuns ao longo da carreira.

A banda irlandesa manteve-se em atividade até 2003, após a gravação do quinto álbum de estúdio, ocorrida dois anos antes, mas viria a fazer uma paragem de seis anos na carreira, regressando aos palcos em 2009.

Após 11 anos sem gravarem temas novos, os Cranberries lançaram o sexto álbum de estúdio "Roses" em fevereiro de 2012 e deram concertos ao vivo em diversos países da China e Japão à Austrália e Nova Zelândia, passando pela Europa e EUA.

Após nova digressão internacional em 2016 e de acordo com a informação disponível na sua página internet, os Cranberries estão a preparar uma digressão para o verão de 2017 - que passará por Cantanhede - baseada nos êxitos da banda com versões orquestradas com um quarteto de cordas.

JLS // SSS

Lusa/fim