Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Em janeiro já tinha sido divulgado em Bruxelas que Portugal recebeu, no ano passado, 1,78 mil milhões de euros do BEI para apoiar investimento, de um total de 75,37 mil milhões de euros disponibilizados na União Europeia (UE).

Desse valor, 1.196 milhões de euros foram para PME, acima dos cerca de 900 milhões de euros de 2015.

O vice-presidente do BEI, Román Escolano, disse hoje num encontro com jornalistas em Lisboa que o dinheiro chegou a 8.271 empresas, sendo o montante médio de financiamento de 288 mil euros.

O BEI não dá empréstimos diretamente às PME, fazendo acordos de linhas de crédito com os bancos a operar em Portugal que, por sua vez, os disponibilizam às empresas.

Além do valor para as PME - que representa a maior parte do financiamento do BEI em Portugal, mais de 60% - o banco que é financiado pelos Estados-membros da UE disponibilizou ainda 163 milhões de euros para projetos de infraestruturas estratégicas importantes nos setores de transportes, energias e infraestruturas urbanas e outros 163 milhões de euros para projetos de apoio à inovação e competências.

Além disso, foram concedidos 258 milhões de euros para projetos relacionados com ambiente (proteção ambiental, energias renováveis, eficiência energética e transportes sustentáveis).

IM (IG) // CSJ

Lusa/fim