Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

O documento, que o Wikileaks divulgou na quinta-feira à noite, sugere que os espiões da CIA queriam uma visão interna da campanha eleitoral, incluindo pormenores sobre financiamento partidário, rivalidades internas e atitudes futuras para com os Estados Unidos.

Apesar de a publicação de um documento supostamente secreto da CIA ser surpreendente, as ordens parecem representar uma normal recolha de informação, escreve hoje a Associated Press.

Os media franceses estão atualmente concentrados nas eleições presidenciais, com a primeira volta agendada para final de abril, e deram uma atenção reduzida à publicação do WikiLeaks.

A CIA escusou-se a comentar a divulgação do documento. O WikiLeaks não quis responder a perguntas sobre a origem do mesmo, limitando-se a garantir que é autêntico.

FPA // ANP

Lusa/fim