• Gente sem bochechas
    Gente sem bochechas
    Recordo com saudade aquele célebre debate entre Mário Soares e Álvaro Cunhal, (lembro-me que me deixaram ficar a jogar master-mind até mais tarde) no dia seguinte, na Escola Eugénio dos Santos fui para a rua em todas as aulas, porque sempre que um pr
  • Mário Soares teve o desplante de viver livre
    Mário Soares teve o desplante de viver livre
    Foi sempre senhor de ter coragem, de dizer o que pensava, de fazer o que queria e de chamar as coisas pelos nomes. Enganou-se várias vezes e, na maioria das vezes, admitiu-o, sem pesar. “Olhe que …”. A excepção terá sido os ataques pessoais feitos a
  • Portugal é, porque Soares foi
    Portugal é, porque Soares foi
    Não faltará quem faça a biografia de Mário Soares, como não haverá falta dos comentários de ódio e veneração. Indiferença, ninguém sentirá. Figura maior do que a pessoa, é incontornável, não pela opinião que se possa ter sobre ele, mas pelo papel que
  • A peste voltou
    A peste voltou
    Tinha à minha frente a ultima crónica de Miguel Sousa Tavares no Expresso e estava preso ao destaque que o próprio jornal fez do texto: “As redes sociais são a peste de hoje. O seu veneno espalha-se como a peste, destrói como a peste, mata como a pes
  • Festival para gente zangada
    Festival para gente zangada
    Este relato é tão absurdo quanto real. De sábado para domingo, no espaço de 15 segundos, passei de estar sossegado – calado, mãos nos bolsos, olhos no céu - para estar a iniciar um comboio humano que não se coibiu de berrar a clássica “Mamãe eu quer
  • Um campo minado numa porta da Europa
    Um campo minado numa porta da Europa
    As receitas do turismo na Turquia caíram 37% no espaço de 12 meses (fonte: WTO). É um efeito imediato da insegurança instalada no país que só em 2016 sofreu 19 sangrentos atentados terroristas com grande impacto, cinco deles em Istambul e três em Ank
  • 2017 vai ser um ano de… mágica
    2017 vai ser um ano de… mágica
    Fazer previsões tornou-se um exercício quase impossível e até Lobsang Rampa e o seu “terceiro olho”, que lhe terá dado poderes de clarividência, teriam dificuldade em antever o futuro. Mas isto não acontece apenas devido à velocidade a que as transfo
  • 2017, um ano safado - mas que até pode safar-se
    2017, um ano safado - mas que até pode safar-se
    Este 2017 entra-nos com aviso de safadezas, mas o ano até pode safar-se. A certeza de avanços revolucionários da ciência, designadamente para eliminar doenças, a confiança na efervescência dos criadores culturais e a esperança na energia das pessoas
  • Em que ano estamos?
    Em que ano estamos?
    Ao longo dos últimos meses, com as inesperadas mortes que nos apanharam pela frente, com as tragédias (esperadas ou não…) que se abateram um pouco por todo o Mundo, e com surpresas como a eleição de Donald Trump, a ideia mais forte que as redes socia
  • 10 de rajada
    10 de rajada
    O que me proponho de seguida é enumerar 10 personalidades (vivas!) de 2016. Algumas são as mais importantes, outras são as mais importantes no instante em que escrevo; de algumas gosto, outras odeio, outras avizinham-se indiferentes. E para atestar q
  • Também há boas notícias
    Também há boas notícias
    Às vezes, apesar do esforço de procura e de espera, não chegamos a encontrar uma notícia que seja feliz na capa de um jornal ou na abertura de um noticiário. Os factos, para passarem à categoria de notícia, precisam de ser novos, surpreendentes, impa
  • Passagem de ano e outros dramas festivos
    Passagem de ano e outros dramas festivos
    Sinto que é chegada a altura de mudar de tipo de animais que comemos no Natal. Não podem ser sempre os mesmos. Parece perseguição religiosa. Parece que os católicos têm alguma coisa contra o bacalhau. 
  • Je suis nous sommes
    Je suis nous sommes
    Caro Pai Natal, ou São Nicolau, se assim quiseres que te chame. Mais que escrever uma carta dirigida a ti (posso tratar-te por tu, não posso?), aproveito a época e a tua presença para simplesmente falar contigo. Falar do meu país. Da minha cidade. De
  • A felicidade que podemos procurar
    A felicidade que podemos procurar
    De repente, chegou o Natal, é devido ser uma época de alegria, e a equipa do SAPO 24 propõe-me que escreva aqui uma carta de desejos, como se fosse ao pai Natal – claro, o que é pessoal e íntimo não é chamado para uma tribuna pública. Que o mundo vá
  • O que dar a alguém que já tem tudo?
    O que dar a alguém que já tem tudo?
    Foi a esta pergunta que procurámos dar resposta neste texto especial de Natal. Só que em vez de pensarmos nesta pergunta na perspetiva da eterna dúvida que nos assola nas compras de Natal, fizemos o exercício de pensar na resposta a pensar em si, car
  • Sem juízo (final)
    Sem juízo (final)
    Algumas semanas forçosamente encostado à boxe - vendo o mundo, a espaços, em bocados soltos, sem fio condutor, flashes que encadeiam mais do que iluminam -, e o que já me parecia “fora de pista” fica subitamente fora de órbita, num caos sem ponta por