Salvador Sobral passou esta terça-feira à final do Festival da Canção da Eurovisão, a decorrer na capital ucraniana. “Amar pelos Dois” foi a única canção da lista dos 18 países em competição na primeira semifinal do concurso a ser cantada num idioma que não o inglês.

Em Kiev fez-se silêncio para ouvir Salvador Sobral, a nona participação a subir a palco. Ao contrário de todas as canções interpretadas esta noite, o músico português surgiu no palco secundário no centro da International Exhibition Centre de Kiev, rodeado pelo público, e "Amar pelos Dois" só pelas palmas foi interrompida.

O vídeo da atuação do jovem músico português, partilhado pela conta oficial da Eurovisão no Facebook, soma já centenas de partilhas e mais de 25 mil gostos.

Em declarações ao jornalista Pedro Esteves, da RTP, Salvador Sobral confessa que “ao início estava um bocadinho embriagado com tudo isto” e que agora está “com vontade de ver até onde é que isto vai”. “Confesso que gostava de ganhar”, disse. “A primeira vez que senti isto foi hoje” partilhou o representante português com o jornalista, no final da primeira semifinal do Festival.

Portugal regressou este ano à Eurovisão, após um ano de ausência, onde se estreou em 1964. A melhor prestação foi a de Lúcia Moniz, em 1996, com a canção "O Meu Coração não tem Cor ", que alcançou o sexto lugar. Desde 2010, com a cantora Filipa Azevedo e a canção “Há Dias Assim”, que um tema português não passava à final. Este ano, Portugal poderá obter um dos melhores resultados de sempre, a avaliar pelas apostas e pelas reações que têm sido difundidas nas redes sociais ou o destaque dado ao cantor português por meios de comunicação social estrangeiros.

De acordo com o ‘site’ eurovisionworld.com, dedicado ao concurso, Portugal surge no segundo lugar numa média de várias casas de apostas. Itália, com a canção “Occidentali´s Karma” interpretada por Francesco Gabbani, é apontada como o país favorito para vencer a edição deste ano.

Das 18 canções que se ouviram nesta primeira semifinal apenas 10 foram apuradas para a final. A decisão é dividida entre um júri internacional e os espetadores europeus. Para além de Portugal, as canções da Moldávia, Azerbaijão, Grécia, Suécia, Polónia, Arménia, Austrália, Chipre e Bélgica foram hoje apuradas. O televoto de cada país vale 50% da pontuação total, os outros 50% ficam a cargo da opinião de especialistas da indústria musical, escolhidas pelo país em questão. Depois de avaliadas as duas formas de ponderação de votos, estes são transformados em entradas de 12, 10, 8 e daí até 1 pontos.

Em entrevista ao SAPO 24, no final do passado mês de março, Salvador Sobral contava que a vitória não lhe interessava muito, que queria era “levar a canção e passar uma mensagem bonita”.

“Amar pelos dois”, composta pela sua irmã, Luísa Sobral, venceu a 6 de março a final do Festival da Canção, que decorreu no Coliseu dos Recreios em Lisboa e foi disputada por oito canções.

A edição deste ano do Festival Eurovisão da Canção, em Kiev, fica marcada pelo conflito entre a Ucrânia e a Rússia. Recorde a entrevista à embaixadora da Ucrânia em Portugal, Ohnivets Inna Vasylivna. Ao SAPO 24 falou sobre o festival, da polémica com o país vizinho, deu conselhos aos portugueses que por estes dias visitam Kiev, e desejou boa sorte a Salvador Sobral.

A segunda semifinal realiza-se na quinta-feira e será transmitida em diferido, pelas 22h00, na RTP. A grande final acontece dia 13 de maio e será disputada por representantes de 26 países: os 20 qualificados nas semifinais, os denominados ‘Cinco Grandes’ (França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido) e o país anfitrião (Ucrânia).