A análise foi feita por uma equipa de investigadores italianos e egípcios das universidades de Milão, Pisa e do Museu Egípcio do Cairo e publicada na revista Meteoritics & Planetary Science, através de um raio-x fluorescente, segundo o El País.

A adaga, que agora está em exposição no Cairo, no Museu Egípcio, foi descrita em 1925 por Howard Cater, o homem que descobriu o túmulo de Tutankamon, como “um punhal de ouro muito ornamentado”. A adaga tem uma lâmina em metal não oxidado - algo que tem gerado grande curiosidade dado a idade do punhal - e é decorada com um punho dourado.

Os últimos avanços tecnológicos permitiram aos investigadores determinar a composição da lâmina: “O ferro meteórico está claramente identificado por causa da presença de uma grande percentagem de níquel”, explicou Daniela Comelli do departamento de física da Universidade Politécnica de Milão, e principal autora do estudo.

Os meteoritos de ferro são compostos principalmente por ferro e níquel, com quantidades mais pequenas de cobalto, enxofre e carbono. Por outro lado, os objetos feitos a partir de ferro extraído de minas têm no máximo uma percentagem de 4% de níquel, enquanto a adaga de Tutankamon tem 11%.

“Considerámos todos os meteoritos encontrados dentro de uma área de 2.000 quilómetros de raio com o centro no Mar Vermelho e acabámos com 20 meteoritos de ferro”, afirmou Daniela Comelli, acrescentando que “só um, apelidado Kharga, apresentou um conteúdo de níquel e cobalto possivelmente consistente com a composição da lâmina”.

O fragmento de meteorito foi encontrado em 2000 num planalto de calcário de Mersa Matruh, um porto situado a cerca de 230 quilómetros a oeste de Alexandria.

O estudo refere ainda que no Antigo Egito, o povo atribuía um grande valor ao ferro meteórico e construíam diversos objetos com este material, uma vez que o consideravam como uma mensagem divina, dado que tinha origem no céu.

De acordo com Daniela Comelli, os egípcios conseguiram forjar ferro com alta qualidade no século XIV antes de Cristo.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.