17 agosto

Ruben Cavaco, um jovem de 15 anos, sofreu múltiplas fraturas, escoriações e perda de conhecimento ao ser agredido numa rixa em Ponte de Sor, alegadamente por dois rapazes, de 17 anos.

O alerta foi dado às 3:55, após ter sido encontrado inanimado por trabalhadores do município que recolhiam o lixo. Foi assistido no centro de Saúde de Ponte de Sor e transferido de helicóptero para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

Os dois suspeitos ficaram à guarda da GNR até à chegada da PJ, que está a investigar este caso.

18 agosto

Foi divulgado na comunicação social que os dois alegados agressores são filhos do embaixador do Iraque e têm imunidade diplomática.

O Hospital de Santa Maria alegou que não pode prestar informações sobre estado clínico de Ruben Cavaco por se tratar de um menor, sabendo-se apenas que o seu estado é grave.

 O Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) informou que "eventuais diligências diplomáticas poderão ser consideradas" no caso dos dois filhos do embaixador do Iraque em Portugal suspeitos da agressão.

A G Air Training Centre, escola de aviação sediada no aeródromo de Ponte de Sor, onde estava inscrito um dos filhos do embaixador iraquiano, iniciou o processo de expulsão do aluno, "repudiando totalmente" o ocorrido tendo considerado as ações do aluno "intoleráveis". 

19 agosto

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, manifestou-se "preocupado e chocado" com o caso da agressão em Ponte de Sor, tendo contactado o Hospital de Santa Maria, onde o jovem se encontra internado. Informações na comunicação social indicam que Ruben Cavaco está em coma induzido.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) indicou à Lusa que já iniciou uma investigação. 

20 agosto

O Ministério dos Negócios Estrangeiros esclareceu que as autoridades judiciárias não lhe solicitaram qualquer diligência no caso da agressão ao jovem de Ponte de Sor, mas, caso seja feita, desenvolverá as ações "necessárias e adequadas".

21 agosto

O Ministério dos Negócios Estrangeiros disse que Portugal pode pedir o levantamento da imunidade diplomática dos suspeitos do espancamento de Ruben Cavaco, se isso for necessário para fazer justiça, noticiou o jornal Público, citando o ministro Augusto Santos Silva.

O ministro, que considerou o caso "gravíssimo", declarou ao jornal não saber se os dois filhos do embaixador iraquiano já deixaram o país, depois de o Correio da Manhã ter noticiado que a PJ admitia que os suspeitos pudessem ter saído de Portugal.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros do Iraque anunciou que está a acompanhar o caso, com "preocupação".

22 agosto

O embaixador do Iraque em Portugal, Saad Mohammed M.Ali, foi recebido pelo embaixador-chefe do Protocolo de Estado, António Almeida Lima, que, no MNE, tem as competências relativas às imunidades diplomáticas. 

O MNE reiterou não ter recebido qualquer pedido das autoridades judiciárias relacionado com a agressão em Ponte de Sor.

A Embaixada do Iraque em Portugal alegou, num comunicado em árabe, que os filhos gêmeos do embaixador Saad Mohammed M.Ali agiram em legítima defesa, depois de terem sido "severamente espancados" e "insultados por seis pessoas" por serem "árabes e muçulmanos".

A embaixada garantiu que os jovens se deslocaram à esquadra de Ponte de Sor, onde apresentaram queixas e prestaram declarações.

Em declarações ao Jornal da Noite da SIC, o ministro Augusto Santos Silva admitiu pedir ao Iraque que renuncie à imunidade diplomática dos filhos do embaixador iraquiano em Portugal se essa diligência for solicitada pela justiça.

Acrescentou que durante o encontro no MNE em que esteve o embaixador do Iraque, este entregou ao Governo português outra versão dos factos ocorridos em Ponte de Sor, que foram reencaminhados para o Ministério Público.

Os filhos gêmeos do embaixador iraquiano, em entrevista à SIC, manifestaram-se disponíveis para colaborar com a polícia e negaram que tivesse invocado imunidade diplomática, assegurando que permanecerão em Portugal até à resolução do caso. 

23 agosto

O embaixador do Iraque em Lisboa foi convocado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros em Bagdade para consultas sobre o incidente de Ponte de Sor que envolveu os seus dois filhos gémeos.

O oficial de Relações Públicas do Comando Territorial de Portalegre da GNR revelou que os dois jovens iraquianos suspeitos da agressão não foram identificados pelas autoridades a conduzir qualquer viatura, nem no local foi detetado qualquer carro que lhes pertencesse. 

Ruben Cavaco, que estava em coma induzido, saiu, durante a manhã, dos cuidados intensivos do Hospital de Santa Maria e, segundo o seu advogado, Santana-Maia Leonardo, será agora submetido a uma "avaliação neurológica". 

A PGR esclareceu que não deu entrada no MP qualquer queixa formal do embaixador iraquiano em Portugal relativamente às agressões verificadas em Ponte de Sor. 

O advogado de Ruben Cavaco disse à Lusa já ter pedido a consulta do processo e manifestou intenção de colaborar com o MP. Precisou que o caso está no Tribunal de Ponte de Sor, mas que, dada a gravidade dos factos, o processo poderá transitar para o Tribunal de Portalegre.

O padrasto do jovem agredido por dois iraquianos admitiu hoje à agência Lusa que pode haver uma “terceira pessoa” envolvida na agressão, que terá sido “já interrogada” pelas autoridades.

“Há quem diga que estava um a gravar tudo [agressão], porque eles são três. Sei que já foi interrogado e ouvi dizer que já esteve na Polícia Judiciária (PJ), agora quem é não sei”, disse Marco Silva.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.