“Esta era a única escola primária desativada no concelho que não estava recuperada”, mas, agora, “será uma infraestrutura ao serviço da comunidade, promovendo o turismo astronómico”, realçou hoje à agência Lusa o presidente da câmara, José Calixto.

Segundo o autarca de Reguengos de Monsaraz, a escola de Cumeada, "uma das mais pequenas aldeias do concelho", encontrava-se “desativada há 10 ou 12 anos” e em "estado de degradação avançado", tendo o município assumido “o compromisso de a recuperar” para aí instalar a sede da Reserva Dark Sky Alqueva, enquanto parceiro do projeto.

“Recuperámo-la e acrescentámos-lhe uma zona de observatório, com um telescópio de maiores dimensões e características e uma estrutura de teto amovível, para se poderem fazer as observações astronómicas”, explicou.

No global, a requalificação do edifício, no qual “foram mantidos todos os traços de uma escola primária do Estado Novo”, embora adaptando-o “para um fim completamente diferente”, envolveu um investimento global de 75 mil euros, incluindo os equipamentos, financiado a 85% por fundos comunitários.

“É um projeto inovador que irá permitir ter um conjunto de equipamentos” na área do turismo astronómico, “até para utilização pelos agentes turísticos” do território que queiram promover observações astronómicas, disse José Calixto, adiantando que a sede da Reserva Dark Sky Alqueva vai ser inaugurada no final deste mês.

A reserva, gerida pela Genuineland, foi o primeiro sítio do mundo, em 2011, a obter a Certificação Starlight Tourism Destination, atribuída pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) e pela Organização Mundial do Turismo.

O projeto abrange seis municípios do Alentejo (Portel, Reguengos de Monsaraz, Alandroal, Mourão, Moura e Barrancos) que, por terem baixa “poluição luminosa”, permitem uma observação astronómica de excelência.

A partir de agora, disse o autarca, “sempre que um grupo chegar ao território Dark Sky Alqueva” ou que “algum turista queira uma informação sobre onde é que se pode dirigir para fazer as suas observações”, já dispõe de “um ponto de receção e uma primeira abordagem” ao turismo astronómico, graças à sede em Cumeada.

"Esta infraestrutura leva as pessoas a usufruírem de uma parte mais a sul do concelho, que também tem todas as condições", afiançou, argumentando ainda ter "a ideia" de que este deverá ser "o fim mais improvável para uma escola primária do antigo regime".

O turismo astronómico nestes concelhos situados na zona do Alqueva tem vindo a aumentar, de acordo com José Calixto, que indicou que as iniciativas promovidas no âmbito da Dark Sky Alqueva já “atraem muitas pessoas de fora” e que os turismos rurais “já têm ‘guias do céu’”, ou seja, “monitores que dinamizam observações astronómicas”.

A criação deste “ponto de receção dos turistas”, equipado com um telescópio que permite “usufruir do céu mais escuro da Europa”, é um “sinal de que estamos atentos a um nicho de mercado” que, ao invés de concorrer, “é integrável com outros”, salientou o autarca.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.