Abel Mateus está hoje de manhã a ser ouvido na comissão de inquérito parlamentar às rendas excessivas da energia, tendo referido na sua intervenção inicial que, em 2004, o então ministro da Economia Carlos Tavares consultou a Autoridade da Concorrência sobre a elaboração do diploma sobre os CMEC, mas que apesar de ter "havido bastante interação com o gabinete, muitas das objeções levantadas não foram atendidas".

Depois, com a chegada de um novo Governo, em março de 2005, o então ministro da Economia Manuel Pinho pediu uma exposição sobre os mercados energéticos, na qual, garante Abel Mateus, foram "levantados a maior parte dos problemas que hoje se fala" em relação a este setor em Portugal.

As propostas não foram atendidas pelo Governo e, segundo o antigo presidente, "não mais a Autoridade da Concorrência foi consultada".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.