Portugal foi representado pelo ex-Presidente da República Aníbal Cavaco Silva, a pedido do chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, que justificou a necessidade da presença portuguesa "a alto nível".

No início da semana, no sítio ´online´ da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou que o Grão-Duque João do Luxemburgo exerceu funções entre 1964 e 2000, "período determinante para a instalação e integração dos Portugueses" no país.

No passado dia 23, após ser anunciado o óbito do monarca - aos 98 anos, devido a uma infeção pulmonar - Marcelo recordou o grão-duque João do Luxemburgo como "grande estadista", e "amigo fiel de Portugal", numa mensagem de condolências enviada ao seu filho, Henrique.

Em 2000, o grão-duque tinha abdicado a favor do seu filho, o grão-duque Enrique, atual chefe de Estado, que substituiu o pai após mais de três décadas a liderar o país, e com um historial de condecorações pela luta contra os nazis.

O funeral foi celebrado na capital, começando com a transladação dos restos mortais para o Palácio Ducal, onde foi instalada a capela para uma última homenagem, pela qual passaram mais de 2.500 pessoas.

O corpo foi levado para a Catedral de Notre-Dame local, onde se realizou uma missa, e, durante o percurso, centenas de pessoas despediram-se de um chefe de Estado que sempre gozou da simpatia do povo, como recordaram hoje os media locais.

Os reis de Espanha, o príncipe Alberto do Mónaco, a princesa Beatriz da Holanda e representantes das casas reais da Jordânia, do Reino Unido e Liechtenstein, também estiveram presentes.

Nascido em 05 de janeiro de 1921, João do Luxemburgo era filho da grã-duquesa Charlotte do Luxemburgo e do príncipe Felix de Bourbon de Parma.

Depois de estudar no Luxemburgo e no Reino Unido, o herdeiro da coroa entrou na Guarda Irlandesa como voluntário em 1942, uma unidade do exército britânico.

João de Luxemburgo casou em 1953 com a princesa Josefina da Bélgica, irmã dos antigos reis dos belgas Balduíno e Alberto II.

Josefina morreu em janeiro de 2005.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.