Desde o início da pandemia, o país registou ainda um total de 15.685 mortes devido à covid-19.

De acordo com epidemiologistas citados pela agência de notícias France-Presse (AFP), a pandemia ainda não atingiu o pico naquele país, esperado durante as próximas semanas.

As estimativas dos epidemiologistas apontam para que a Índia ultrapasse um milhão de infeções durante o mês de julho.

Com mais de 73.000 doentes e 2.400 mortos, a capital, Nova Deli, é a cidade mais afetada do gigante do Sul da Ásia, à frente de Bombaim.

Face à forte progressão do número de infetados, o município, com 20 milhões de habitantes, ordenou a requisição sem precedentes de três dezenas de hotéis, salas de receção e carruagens de comboio, para os converter em centros de isolamento para os doentes, a fim de aliviar os hospitais, já sobrelotados.

A imprensa local dá conta de doentes que morreram depois de lhes ter sido recusada a admissão em vários hospitais, devido à falta de camas disponíveis.

A Índia é o quarto país mais atingido pela pandemia no mundo, depois dos Estados Unidos, Rússia e Brasil.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 490 mil mortos e infetou mais de 9,68 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.