Os números são relativos a 196 países e territórios e contabilizam os casos desde o início da pandemia de covid-19, em dezembro, na China.

Pelo menos 1.602.400 pessoas foram consideradas curadas.

A agência adverte que o balanço não reflete o número real de contaminações, designadamente porque grande número de países apenas testa a presença do vírus nas pessoas que necessitam de hospitalização.

Os Estados Unidos, que registaram as primeiras mortes associadas à covid-19 em fevereiro, são o país mais atingido do mundo, tanto em infeções como em casos, com 87.568 mortes em 1.443.397 casos e 250.747 pessoas declaradas curadas.

Seguem-se o Reino Unido, com 33.998 mortos em 236.711 casos, Itália, com 31.610 mortos em 223.885 casos, Espanha, com 27.563 mortos em 230.698 casos, e França, onde os números disponíveis são de quinta-feira e registam 27.529 mortes em 178.870 casos.

A China continental (sem Macau e Hong Kong) regista oficialmente 82.941 casos (oito novos casos de sexta-feira para hoje), 4.633 deles mortais (zero nas últimas 24 horas) e 78.219 casos curados.

Por regiões do mundo, a Europa continua a ser a mais afetada (164.536 mortes em 1.860.927 casos), seguida dos Estados Unidos e Canadá (93.210 mortes em 1.517.930 casos), América Latina e Caraíbas (26.945 mortes em 476.349 casos), Ásia (11.872 mortes em 343.283 casos), Médio Oriente (8.018 mortes em 264.535 casos), África (2.614 mortes em 77.700 casos), e Oceânia (126 mortes em 8.381 casos).

Portugal regista hoje 1.203 mortes relacionadas com a covid-19, mais 13 do que na sexta-feira, e 28.810 infetados, mais 227, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.