Em comunicado, a Diretoria do Norte da PJ explica que o homem, de 32 anos, foi detido “na fronteira da Turquia com a Grécia” e é um cidadão paquistanês para quem a vítima trabalhava, que “se ausentou” de Portugal “logo que foi noticiado o aparecimento da cabeça” de uma mulher numa praia de Leça da Palmeira, concelho de Matosinhos, distrito do Porto.

A PJ acrescenta que “na origem dos factos, que envolvem também uma mulher detida em abril, estará a existência de uma dívida” que a vítima “insistia em ver saldada”.

“A investigação iniciou-se com o aparecimento de uma cabeça humana no areal da praia de Leça da Palmeira, Matosinhos, na manhã do dia 07 de março de 2019. Após intensas diligências de investigação e cooperação internacional, foi possível identificar e agora deter um cidadão paquistanês, para quem a falecida trabalhava, e que se encontra indiciado pela coautoria do homicídio e subsequente profanação de cadáver”, descreve a PJ no comunicado.

Aquela força policial acrescenta que o homem foi detido “em cumprimento de um mandado de Detenção Europeu”.

O homem, de 32 anos, não tem “atividade profissional conhecida”, acrescenta a PJ.

A 05 de abril, a PJ revelou ter detido uma mulher por homicídio qualificado e profanação de cadáver, num caso associado ao aparecimento de uma cabeça humana no areal da praia de Leça da Palmeira, Matosinhos, em 07 de março.

Na ocasião, a PJ disse que a suspeita era uma massagista de 52 anos e de nacionalidade estrangeira para quem a vítima trabalhava, numa atividade não revelada.

A cabeça de mulher foi encontrada dentro de um saco de plástico, de acordo com relatos feitos na altura por fonte dos Bombeiros de Matosinhos/Leça.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.