O STAT "consiste na introdução de dois elementos diferenciados na área da saúde, enfermeiros, para fazerem o atendimento, a triagem e a priorização das ocorrências oriundas do 112, em situação de emergência", explicou à Lusa o presidente da Proteção Civil Regional, José Dias.

O sistema agora implementado, sublinhou, vai permitir uma maior assertividade no acionamento dos meios operacionais e uma maior equidade no tipo de resposta à população, ao mesmo tempo que melhora a gestão dos recursos no sistema pré-hospitalar e hospitalar.

O sistema permite "ter a capacidade de fazer uma interação entre o pré e o inter-hospitalar", fundamental para a eficácia da prestação de cuidados.

José Dias referiu que a implementação do STAT "congrega no mesmo espaço físico aquilo que acontece no continente em várias entidades", ressalvando ser da "missão do serviço regional de Proteção Civil a área da emergência pré-hospitalar, através do SEMER".

O responsável acredita que o STAT vai ter capacidade para reduzir o número de afluências aos serviços de urgência do Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, e aos centros de saúde.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.