De acordo com o anúncio do governo de Helsínquia na quinta-feira, todos os turistas russos com vistos Schengen serão impendidos de entrar na fronteira com a Finlândia a partir desta sexta-feira.

Helsínquia prevê exceções, não fechando assim a fronteira na sua totalidade, mas assegura que as entradas vão reduzir. Os viajantes russos que precisam de se deslocar à Finlândia “por motivos especiais”, tais como visitas a familiares residentes no país, estudos, trabalho ou por razões humanitárias, não serão afetados. O mesmo para diplomatas russos.

O executivo de Helsínquia tem recebido numerosas críticas a nível nacional e internacional por permitir o trânsito fronteiriço com a Rússia, apesar da invasão russa da Ucrânia iniciada a 24 de fevereiro.

A pressão política obrigou o Executivo liderado pela social-democrata Sana Marin a encontrar um mecanismo legal para bloquear o turismo sem violar o acordo de Schengen.

Os serviços de segurança finlandeses não consideravam que a chegada de turistas russos seria uma ameaça para a Finlândia, como alegam os países bálticos e a Polónia, e, por isso, tiveram de encontrar um “outro argumento legal”.

Ao justificar a decisão, o ministro das Relações Exteriores, Pekka Haavisto, disse agora que "a entrada de cidadãos russos com fins turísticos põe em risco as relações internacionais do seu país e, desde que a Polónia, Estónia, Letónia e Lituânia fecharam as suas fronteiras em 19 de setembro, a Finlândia passou a ser o único ponto de acesso direto à União Europeia para os cidadãos russos com visto Schengen".

Desde o anúncio de Putin para a mobilização militar parcial a 21 de setembro, os cidadãos russos acorreram para os países vizinhos de modo a evitar a chamada para guerra com a Ucrânia. As entradas de cidadãos russos na Finlândia aumentaram de 28 mil para 50 mil, uma semana depois do anúncio.

Contudo, de acordo com o Le Monde, as chegadas de cidadãos russos à fronteira com a Finlândia estão a diminuir por causa dos "centros de recrutamento que a Rússia instalou em regiões próximas".

A Rússia e a Finlândia partilham uma fronteira de 1340 quilómetros.

(notícia atualizada às 9h00)

*com Lusa

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.