A instituição de caridade fundada pela supermodelo Naomi Campbell está a ser investigada por questões de má conduta de administração e finanças, noticia esta sexta-feira o The Guardian.

Segundo o jornal britânico, a Fashion for Relief, fundada em 2005 com o objetivo de angariar fundos para crianças que vivem em contextos de pobreza e de adversidade em todo o mundo, arrecadou milhões de euros ao longo destes 16 anos através do desfile anual de caridade. Esse dinheiro vai agora ser investigado pela Comissão de Caridade do Reino Unido para determinar se as pessoas envolvidas nesta organização “exerceram adequadamente os seus deveres e responsabilidades legais de acordo com a lei de caridade”, assim como vai investigar os pagamentos feitos pela instituição aos curadores.

A mesma comissão vai olhar para os gastos alocados à instituição, assim como a gestão da Fashion for Relief, estando em cima da mesa um possível cenário de má conduta, má gestão e não apresentação das contas anuais obrigatórias dentro do prazo.

Um exemplo destacado pelo Guardian, relativo às últimas contas disponíveis ao público, de 2019, mostram que em julho desse ano o desfile angariou 1.722 milhões de libras (o equivalente a mais de dois milhões de euros), a maioria angariado através de patrocínios. No entanto, as mesmas contas revelam que realizar o evento e contratar o staff custou 1.606 milhões de libras. Apenas 5.515 mil libras foram doados à causa.

O mesmo ano revela gastos elevados com curadores com pessoas a receberem 77 mil libras por consultoria mais 15.942 libras em despesas de deslocações.

Depois de mais de um ano de conversações 'à porta fechada' entra a comissão e a instituição, decidiu-se avançar para uma investigação.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.