“Esqueçam-se os sonhos de alguns multimilionários. Não há planeta B. Só investindo no planeta Terra podemos assegurar o nosso futuro”, disse Guterres, ao abrir a primeira sessão de negociações da 15.ª Conferência das Partes (COP15) sobre Biodiversidade, em Montreal, no Canadá.

Guterres voltou a solicitar aos representantes de 196 Estados, presentes na COP15 até 19 de dezembro, que alcancem um acordo sobre a biodiversidade global, que cheguem a um compromisso ambicioso, “uma verdadeira paz com a Natureza, para garantir um futuro verde e saudável para todos”.

O secretário-geral da ONU também realçou a necessidade de proteger os defensores do ambiente.

Um relatório divulgado em setembro, pela organização não Global Witness, apontou que durante a última década foi assassinado em média um ativista em cada dois dias no mundo, no total de 1.700 desde 2012.

“Um dos aspetos que me preocupa é uma relação é a perseguição dos defensores dos direitos humanos em geral, incluindo os ativistas ambientais”, destacou.

Guterres insistiu com as instituições financeiras para que deixem de financiar a exploração de combustíveis fósseis e passem a fazê-lo em relação a projetos de energia renovável

O chefe máximo da ONU vinculou ainda a luta contra as alterações climáticas à preservação da biodiversidade no planeta.

“Derrotar as alterações climáticas só é possível se formos capazes de reverter a perda de biodiversidade”, disse.

As afirmações iniciais de Guterres foram interpretadas como uma crítica ao multimilionário Elon Musk e aos seus planos de colonização do planeta Marte.

Musk, que é o fundador da SpaceX, dedicada à produção de foguetes e satélites, sustenta que a Humanidade precisa colonizar Marte e outros planetas para se salvar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.