Desde 03 de abril que o Japão tem vindo a alargar progressivamente a proibição de entrada a cidadãos de outros países. Neste momento, 111 nacionalidades estão impedidas de entrar em território nipónico, para impedir a propagação da covid-19.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro, Shinzo Abe, anunciou, sem indicar a partir de que data, os primeiros países a serem beneficiados por esta medida: Vietname, Tailândia, Austrália e Nova Zelândia.

Em conferência de imprensa, o ministro dos Negócios Estrangeiros nipónico, Toshimitsu Motegi, disse que as conversações oficiais estão mais adiantadas no caso do Vietname, embora tenha evitado precisar se a proibição de entrada será levantada ainda no corrente mês.

“Estamos a coordenar os mecanismos para permitir a entrada [no Japão] de empresários vietnamitas”, disse Motegi, acrescentando que o diálogo entre os dois Governos está na “fase final”.

As consultas prosseguem nos casos da Tailândia, da Austrália e da Nova Zelândia, indicou.

Quanto aos restantes países, o ministro disse que as medidas para levantar as restrições obrigatórias serão alargadas “passo a passo”, tendo em conta a situação da epidemia em cada país.

Dos 111 países incluídos na “lista negra”, o Japão só permite a entrada de pessoas que, por circunstâncias excecionais, como a morte de um familiar ou intervenção cirúrgica, tenham sido obrigadas a sair do país e que precisem de regressar ao local da residência habitual.

De acordo com o diário financeiro Nikkei, que citou fontes governamentais não identificadas, as pessoas oriundas dos Estados Unidos, China, Coreia do Sul e Taiwan provavelmente terão de esperar até ao outono.

China, Coreia do Sul e Taiwan são os países de onde vem o maior número de turistas para o Japão, mas as restrições vão ser levantadas progressivamente para pessoas do mundo empresarial e dos negócios.

A intenção do Governo japonês é exigir testes ao novo coronavírus a quem quiser entrar no Japão, antes de chegar ao país, e depois também nos terminais aéreos nipónicos, mas para isso conta com várias limitações.

O Nikkei adiantou que os aeroportos japoneses estão a realizar atualmente cerca de 950 testes diários.

As fontes citadas pelo Nikkei referiram que para permitir a entrada de pessoas oriundas dos Estados Unidos, China, Coreia do Sul e Taiwan, o Japão teria de aumentar a capacidade para efetuar cerca de dez mil testes diários nos terminais aéreos.

No ano passado, as autoridades nipónicas registaram, em média, 1.356 visitantes vietnamitas, enquanto da Tailândia foram 3.614.

Também em 2019, entraram no Japão, numa média diária, 26.286 visitantes chineses, 15.300 sul-coreanos e 13.399 de Taiwan, de acordo com dados oficiais.

Ao todo, o Japão recebeu, em 2019, uma média diária de 87.348 estrangeiros.

Até agora, o Japão registou cerca de 17.700 casos da covid-19 e 935 mortos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 450 mil mortos e infetou mais de 8,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.