O maior resgate ocorreu na madrugada, ao largo da costa de Lanzarote, quando a embarcação “Salvamar Polinia” localizou 53 pessoas a bordo de um barco insuflável.

Os migrantes, todos eles africanos subsaarianos e incluindo sete mulheres, foram encontrados a 60 quilómetros de Arrecife e estão bem, segundo as autoridades espanholas.

O presidente do Partido Popular das Canárias, Manuel Domínguez González, recriminou, numa mensagem publicada nas redes sociais, o chefe do executivo espanhol, Pedro Sánchez, por “ignorar” o drama migratório que está a ser vivido “a uma curta distância” de onde passa o verão, em Lanzarote.

Horas depois, cerca das 13:00, o Salvamento Marítimo informou que um pequeno barco insuflável com 51 imigrantes de origem subsariana e marroquina a bordo, quatro deles menores, foi resgatado a cerca de 56 milhas de Arrecife (Lanzarote).

O barco foi avistado pelo navio “Esna”, que avisou que estava sobrecarregado e à deriva e os seus ocupantes pediram ajuda.

Uma outra embarcação do serviço de Salvamento Marítimo, a “Salvamar Leo”, localizou um barco que navegava a cerca de 28 milhas da costa de Calpe (Alicante) com 16 pessoas a bordo, todos homens e de origem magrebina que estão a ser transferidos para a capital de Alicante.

Treze pessoas de nacionalidade marroquina também foram resgatadas de um pequeno barco insuflável com um motor, que navegava à deriva perto do Cabo Roche, em Conil de la Frontera (Cádis), detalhou a Polícia Nacional,

Em Maiorca, a Guarda Civil intercetou hoje de manhã oito migrantes que se encontram num barco no porto de S’Estanyol, no concelho de Llucmajor, a sul da ilha de Maiorca.

ANP // VAM

Lusa/fim

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.