“A Diocese do Funchal recebeu, com tristeza, a notícia do falecimento de Maurílio de Gouveia, neste dia da festa de São José, e manifesta o seu pesar”, pode ler-se na nota.

Maurílio de Gouveia foi arcebispo de Évora durante quase 27 anos, entre setembro de 1981 e fevereiro de 2008.

Numa nota publicada na página da diocese do Funchal, Nuno Braz, bispo do Funchal, informou que o arcebispo emérito de Évora faleceu depois de uma doença prolongada.

Este salientou que o sacerdote se encontrava no Eremitério de Maria Serena, na freguesia de Gaula, no concelho contíguo a leste do Funchal (Santa Cruz). “O Senhor D. Maurílio de Gouveia faleceu na paz de Jesus”, escreveu o prelado madeirense.

Também mencionou que teve “oportunidade de o visitar várias vezes durante a sua doença e receber o seu testemunho cristão de serenidade e entrega total nas mãos de Deus”. “Dizia num dos seus últimos escritos, ‘Rumo ao Céu’: é uma atitude de lucidez e de esperança”, escreveu o bispo do Funchal na nota de pesar.

Os restos mortais ficarão em câmara ardente no Eremitério Maria Serena, na Madeira, antes de serem transladados para a Catedral do Funchal, onde vão decorrer exéquias solenes.

Posteriormente, o corpo do arcebispo emérito de Évora será transladado para a Sé Catedral da cidade alentejana, onde também serão celebradas as exéquias, ficando sepultado numa capela lateral da Igreja do Espírito Santo.

Natural do Funchal (Madeira), onde nasceu a 05 de agosto de 1932, Maurílio de Gouveia foi ordenado sacerdote em 1955, passando a liderar, 26 anos depois, a arquidiocese de Évora.

Segundo os dados biográficos do antigo arcebispo, disponibilizados à agência Lusa pela arquidiocese alentejana, Maurílio de Gouveia cursou no Seminário Diocesano do Funchal, onde foi ordenado sacerdote a 04 de junho de 1955.

Daí, seguiu para Roma, frequentando a Universidade Gregoriana e obtendo a licenciatura em Teologia Dogmática.

De regresso à Madeira, exerceu o ministério pastoral na paróquia de Machico, após o que foi nomeado vice-reitor e professor do Seminário do Funchal.

Na sua diocese, foi ainda assistente de vários movimentos de apostolado e David de Sousa, então bispo do Funchal, nomeou-o cónego da Sé, sendo que, mais tarde, exerceu as funções de diretor do diário diocesano “Jornal da Madeira”.

A nomeação episcopal aconteceu a 26 de novembro de 1973, como titular de Fabiona e Auxiliar do Patriarcado de Lisboa, e a ordenação episcopal surgiu a 13 de janeiro do ano seguinte, na Sé do Funchal.

Quatro anos depois, a 22 de março, foi nomeado arcebispo titular de Mitilene e vigário geral do Patriarcado de Lisboa.

A nomeação para arcebispo de Évora aconteceu a 08 de setembro de 1981, festa da Natividade de Nossa Senhora, tomando posse três meses depois, no dia da festa da Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria, padroeira principal de Portugal e da Arquidiocese de Évora.

No mesmo dia do ano, mas já em 2006, a Sé de Évora encheu-se de sacerdotes e de leigos para celebrarem os 25 anos da entrada solene de Maurílio de Gouveia na Arquidiocese de Évora.

(Notícia atualizada às 17h23)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.