Segundo um comunicado da secretaria de Estado de Administração Penitenciária, grupos rivais começaram a lutar entre si por volta das 12:00 de sábado, tendo sido enviados rapidamente reforços para o Complexo Penitenciário Anisio Jobim (COMPAJ).

O secretário de Estado, tenente-coronel Marcus Vinicius Oliveira de Ameida, adiantou que a situação “está sob controlo”, embora os helicópteros da polícia continuem a sobrevoar o complexo como precaução.

Não há informações sobre fugas.

A mesma prisão foi palco de um violento motim em janeiro de 2017, de que resultou a morte de 56 pessoas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.