Segundo a EFE, de acordo com a fonte – por sua vez, citada pela agência oficial Xinhua -, o país asiático já administrou, pelo menos, uma dose a 46% da população.

A Comissão não especificou, no entanto, quantas pessoas receberam todas as doses necessárias para a imunização completa.

A China tem como objetivo de imunizar 40% dos seus 1.400 milhões de habitantes até final de junho, tendo acelerado consideravelmente o processo nos últimos meses com reforço do nível de produção de vacinas, refere a EFE.

Entre as sete vacinas autorizadas pela China, cinco requerem duas doses, uma é de dose única e a outra precisa de três administrações.

Na sexta-feira foi anunciado que a vacina da farmacêutica Sinopharm e do Instituto de Produtos Biológicos de Pequim foi aprovada para uso em crianças e jovens dos três aos 17 anos.

Poucos dias antes tinha também sido autorizado o uso de emergência da vacina da Sinovac entre os três e os 17 anos, embora o presidente, Yin Weidong, tenha referido que ainda não foi decidido quando se utilizará e a partir de que idade.

A China espera vacinar contra a Covid-19, pelo menos, 70% dos “grupos prioritários” da sua população até ao final do ano, segundo o vice-presidente da Comissão Nacional de Saúde, Zeng Yixin.

O país asiático está, atualmente, a vacinar a população contra a covid-19 a uma média de 15 milhões de adultos por dia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.