O número anterior, avançado pela polícia daquela região, dava cinta de 26 mortos e 81 feridos

De acordo com as autoridades regionais, entre os mortos encontram-se pelo menos duas crianças, e uma das pessoas hospitalizadas nos centros médicos da cidade é uma menina de três anos.

O número de vítimas ainda não é definitivo, adiantou a polícia.

O trabalho dos serviços de emergência e do Exército ucraniano continua no local do ataque, que atingiu um comboio civil que, hoje de manhã, se preparava para deixar Zaporijia em direção aos territórios sob controlo russo naquela região.

Segundo a comunicação social ucraniana, o objetivo da viagem era fornecer ajuda humanitária e ir buscar familiares que estavam nas áreas ocupadas.

Quando os mísseis russos atingiram o comboio, 100 pessoas estavam no posto de controlo, refere a imprensa.

De acordo com a agência de notícias ucraniana Interfax, as autoridades ucranianas estão a recolher provas no local para prepararem a abertura de uma investigação por crimes de guerra.

O ataque foi inicialmente anunciado pelo governador da região, Oleksandr Starukh, que divulgou, através da plataforma Telegram, imagens de veículos queimados e corpos caídos na estrada.

O ataque aconteceu no dia em que Moscovo anunciou a anexação de quatro regiões da Ucrânia: além de Zaporijia tambémLugansk, Donetsk e Kherson, na sequência de referendos realizados entre 23 e 27 de setembro e cujos alegados resultados terão mostrado uma adesão quase total da população à sua incorporação na Rússia.

Nem a Ucrânia nem a comunidade internacional reconhece as anexações.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.