com o apoio MEO
O MEO Energia ajuda-o a poupar. Simule aqui

O que se sabe até ao momento sobre o atentado em Nice

Este artigo tem mais de 4 anos
Ontem ao fim da noite, um atentado em Nice matou pelo menos 84 pessoas, segundo o último balanço oficial. Hollande
O que se sabe até ao momento sobre o atentado em Nice

Como aconteceu o atentado?

Um camião branco de 19 toneladas atropelou a multidão por volta das 23h de quinta-feira, quando centenas de pessoas se juntavam na Promenade des Anglais, uma das principais avenidas de Nice, junto ao mar, para assistir ao fogo de artifício que ontem assinalava o feriado do Dia de França ou Festa Nacional.

O camião avançou sobre a multidão ao longo de dois quilómetros, provocando um número elevado de vítimas. O último balanço oficial aponta para 84 mortos e 18 feridos em estado grave. Escreve a AFP que pelo menos 50 crianças foram hospitalizadas após o atentado. 

O agressor foi morto após ter feito vários disparos com uma pistola na direção da polícia. Dentro do camião foram encontradas uma granada inactiva e outras armas. O condutor, entretanto indentificado, era um franco-tunisiano, de 31 anos, morador de Nice, cujo documento de identificação foi encontrado no interior do veículo, escreve a AFP. 

Hollande decretou três dias de luto nacional, anunciou o primeiro-ministro Manuel Valls, acrescentando que o governo fará o necessário para estender o estado de emergência em vigor desde os atentados de novembro de 2015 em Paris. Um projeto de lei para prolongar até final de outubro o estado de emergência vai ser apresentado na quarta e quinta-feira ao parlamento.

Mais um ataque terrorista?

O presidente francês, François Hollande, disse que o "carácter terrorista" do ataque "não pode ser negado". A autoria do ataque não foi até agora assumida por nenhum grupo, mas as investigações serão conduzidas por uma seção antiterrorista.

"As investigações estão em andamento para estabelecer se um indivíduo agiu sozinho ou se teve cúmplices que podem ter fugido", explicou o porta-voz do ministério do Interior francês, Pierre-Henry Brandet. O ataque ocorre com a França sob estado de emergência, após os atentados de 13 de novembro, em Paris, reivindicados pelo grupo Estado Islâmico, que deixaram 130 mortos.

Já aconteceu antes?

Em dezembro de 2014, dois homens lançaram os veículos  que conduziam na direção de peões  - foram incidentes em dois dias diferentes que abalaram a França. O primeiro motorista gritou "Allahu Akbar" (Alá é grande) enquanto dirigia o carro, atropelando as pessoas na cidade de Dijon, no leste do país. Treze pessoas ficaram feridas.

O motorista de 40 anos tinha um longo historial de doença mental e nenhum vínculo com grupos extremistas. Um dia depois, um homem lançou uma carrinha branca na direção de um mercado de Natal na cidade de Nantes, no oeste de França,  matando uma pessoa e ferindo outras nove. Em seguida, auto-infligiu-se vários ferimentos com uma faca.  

Os investigadores informaram que um computador foi encontrado no seu carro, onde foram lidas mensagens que expressavam o seu "ódio pela sociedade" e o receio que tinha de "ser morto por agentes secretos". O homem cometeu suicídio na prisão, já este ano, enquanto aguardava julgamento. 

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.

Veja também

 
 
 

Comentários

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa , as nossas notificações ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.
mookie1 gd1.mookie1