A principal ação surpresa dos “coletes amarelos” foi a ocupação por dezenas de pessoas dos armazéns Galerias Lafayette, que a convocação nas redes sociais classificava de “um templo do consumo”.

A polícia interveio rapidamente para retirar os militantes, mas a loja decidiu encerrar as portas o resto do dia.

Também foram feitas outras convocatórias, com pouca resposta, para o bairro Les Halles e a praça da Bastilha.

A prefeitura da polícia indicou na rede social Twitter que até às 13:00 locais (12:00 em Lisboa) tinham sido detidas 20 pessoas.

Até essa hora, os agentes tinham realizado 639 controlos para fazer cumprir a proibição de manifestações durante o fim de semana em grande número dos bairros centrais da capital francesa.

Para evitar mobilizações no dia em que se assinala o primeiro aniversário do início dos protestos dos “coletes amarelos”, a 17 de novembro de 2018, foram encerradas 29 estações de metropolitano e cinco de comboios suburbanos.

O ministro do Interior, Christophe Castaner, disse hoje ao canal BFMTV que no sábado foram detidas nos protestos 254 pessoas em todo o país, 173 das quais em Paris.

As autoridades indicaram que as manifestações de sábado juntaram em França 28.000 pessoas (4.700 em Paris), o que representa dez vezes menos que os primeiros protestos há um ano.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.