Segundo um comunicado de hoje da PJ, esta operação, denominada "Bananero", decorreu ao longo das três últimas semanas e até ao momento não foram anunciadas detenções, prosseguindo as investigações em Portugal e em países europeus para onde a droga tinha destino, com a colaboração da Europol.

A Judiciária adiantou que a cocaína “que chegou ao Porto de Setúbal dissimulada no interior de elevado número de paletes de caixas de bananas transportadas nos porões de três navios de uma linha comercial que todas as semanas efetua ligações entre portos colombianos e vários portos europeus, destinava-se a abastecer os circuitos ilícitos de consumo em vários países europeus”.

De acordo com a informação prestada à agência Lusa, esta operação teve o apoio de diferentes congéneres e parceiros internacionais, bem como da Autoridade Tributária e Aduaneira e da GNR.

Desde o início deste ano já foram já apreendidas em Portugal 12,176 toneladas de cocaína, o que, comparando com a quantidade desta droga apreendida em todo o ano de 2021, representa um aumento de 22,7% apenas no primeiro semestre de 2022.

Num nota enviada à Lusa, a PJ afirma que a operação agora divulgada se insere “no quadro do esforço que coordenadamente tem vindo a ser desenvolvido pela Polícia Judiciária no sentido de se detetarem e apreenderem grandes carregamentos de cocaína que múltiplas organizações criminosas de cariz transnacional pretenderem fazer chegar regularmente ao continente europeu, que atualmente será o maior mercado ilícito daquele tipo de droga”.

Esta operação esteve a cargo da Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes, com o apoio do Departamento de Investigação Criminal de Setúbal.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.