Nos Estados Unidos, cabe ao Senado votar a entrada de países na NATO e será necessária uma maioria de dois terços dos votos dos seus membros para que Washington dê luz verde à entrada da Finlândia na Aliança Atlântica, que expressou hoje abertamente o seu desejo de aderir e deve formalizar a sua candidatura no domingo.

Além da Finlândia, também a Suécia é outro potencial candidato à adesão.

“Se a Suécia e a Finlândia decidirem candidatar-se à adesão à NATO, este comité já está a trabalhar para garantir uma votação rápida”, disse o presidente democrata do Comité de Relações Exteriores, Bob Menendez.

Também o número dois republicano na comissão, Jim Risch, prometeu o seu “apoio à Finlândia neste processo”.

A candidatura finlandesa é “um grande passo em frente para o futuro da segurança transatlântica”, em plena guerra liderada pela Rússia na Ucrânia, escreveu Risch na rede social Twitter.

A Finlândia e a Suécia podem solicitar a adesão à NATO dentro de poucos dias, uma importante rutura das duas nações com a sua tradicional posição de neutralidade durante conflitos e de não envolvimento em alianças militares.

A Rússia opõe-se à integração dois países e justificou a sua intervenção militar na Ucrânia com a expansão da aliança militar ocidental em direção a leste.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.