Éric Oget confirmou a morte de um motorista de um camião que estava a atravessar a ponte no momento do colapso, explicando que o corpo ainda não tinha sido retirado do veículo cerca das 20:00 locais (19:00 em Lisboa).

O corpo de um adolescente de 15 anos, que seguia numa das viaturas que caíram ao rio Tarn, também já tinha sido recuperado, com outras quatro pessoas a serem resgatadas das águas com vida.

Bombeiros, socorristas, polícias e equipas de mergulhadores, apoiados por três helicópteros, foram enviados para o local para tentar resgatar pessoas desaparecidas.

Após a descoberta do segundo corpo, Oget confirmou que não havia mais pessoas desaparecidas.

O autarca explicou que a ponte, de estrutura metálica, foi construída na década de 1930 e foi sujeita a “monitorizações regulares”, a última das quais em 2017.

O Ministério Público de Toulouse abriu um inquérito judicial para investigar as causas do colapso.

“É demasiado cedo para dizer se a ponte apresentava riscos ou não”, acrescentou a procuradora Karline Bouisset.

Por sua vez, o autarca local indicou que esta era uma ponte muito utilizada.

“Eram efetuadas revisões regulares, a ponte não apresentava nenhum problema em particular”, disse Éric Oget.

Segundo fontes do jornal local La Dêpeche du Midi, a ponte, com cerca de 150 metros de comprimento e cinco metros de largura, entrou em colapso por volta das 08:00 locais (07:00 em Lisboa), quando um veículo pesado, com peso acima do permitido, a tentou atravessar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.