Num discurso hoje proferido no Museu Nacional do Exército, cujos excertos foram divulgados antecipadamente pelas agências internacionais, Wallace pretendeu denunciar a instrumentalização por parte do Presidente russo, Vladimir Putin, do 77.º aniversário da vitória sobre a Alemanha nazi para esconder os “erros” cometidos na Ucrânia.

Milhares de soldados russos marcharam hoje no tradicional desfile militar do dia 09 de maio, o “Dia da Vitória”, na Praça Vermelha, em Moscovo, que assinala o dia em que a Alemanha nazi se rendeu às forças soviéticas na Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

“Através da invasão da Ucrânia, Putin, o círculo mais próximo e os generais estão agora a refletir o fascismo e a tirania de há 70 anos, repetindo os erros dos regimes totalitários do século passado. O destino também deve, certamente, eventualmente ser o mesmo”, apontou Wallace.

Na mesma intervenção, o ministro denunciou os generais russos “resplandecentes nos uniformes de desfile, carregados com as suas inúmeras medalhas – totalmente cúmplices da apropriação indevida de Putin da história orgulhosa dos antepassados”.

Segundo Wallace, os soldados russos “não estão apenas envolvidos em invasões ilegais e crimes de guerra, mas os comandantes falharam perante os próprios soldados a ponto de serem levados a um tribunal militar”, acrescentou.

Ben Wallace disse ainda que Vladimir Putin quer “intimidar” o mundo com o seu desfile militar em Moscovo, acusando os líderes militares russos de “corrupção”.

Putin quer que o povo russo se sinta “assombrado” e o mundo “intimidado” pelo “militarismo contínuo”, mas o conflito armado na Ucrânia “não faz mais do que desonrar os soldados”, reforçou o ministro britânico.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.