Com 4.29,12 minutos, registados na madrugada por McIntosh na cidade de Toronto, a jovem foi a primeira a baixar dos 4.30 na natação mundial desde 2017, quando a húngara Katinka Hosszu fez 4.29,33 para conquistar, em Budapeste, o quarto título mundial seguido.

É um tempo bem melhor do que a japonesa Yui Ohashi conseguiu no verão passado, quando conquistou o ouro em Tóquio2020 com 4.32,08 — a campeã olímpica foi quase três segundos mais lenta.

Acima de McIntosh, de resto, só duas marcas: a da chinesa Ye Shiwen, conseguida em 2012, de 4.28,43, ainda assim longe do melhor registo, pertencente à ‘Dama de Ferro’, Katinka Hosszu, com 4.26,36, recorde ‘selado’ com o ouro nos Jogos Olímpicos Rio2016.

Filha de outra nadadora olímpica, Jill Horstead, o ‘fenómeno’ adolescente já tinha sido quarta noutra disciplina, os 400 livres, em Tóquio2020, aí ainda com 14 anos, e já é vice-campeã mundial dessa prova na piscina curta, um feito logrado em janeiro em Abu Dhabi.

A jovem apresenta-se já como uma das favoritas aos Mundiais de Budapeste, marcados para junho.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.