"Fizemo-lo no mês de abril relativamente a todas as pessoas com a tarifa social de eletricidade, e essa já foi toda paga. Em maio será alargada a todas as famílias com prestações sociais mínimas ainda que não tivessem tarifa social de eletricidade", disse Ana Mendes Godinho no final da reunião da Concertação Social, em Lisboa.

"Este pagamento em maio abrangerá cerca de 200 mil agregados familiares que não estavam abrangidos pela tarifa social de eletricidade, mas que são titulares de prestações sociais mínimas", acrescentou a ministra.

Em abril, o apoio de 60 euros foi pago às 762.320 famílias beneficiárias da tarifa social de eletricidade.

Em maio, o apoio será pago aos beneficiários de prestações sociais mínimas que não estão abrangidos pela tarifa social de energia.

No total, o apoio irá chegar assim a mais de 960 mil famílias.

Em 13 de abril, na apresentação da proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), o Governo previa que o apoio abrangesse 830 mil agregados familiares no total dos dois meses.

A medida terá um custo associado de 55 milhões de euros, segundo a proposta de OE2022.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.