Um cliente com um empréstimo no valor de 150 mil euros a 30 anos, indexado à Euribor a seis meses e com um ‘spread’ (margem de lucro do banco) de 1%, passou a pagar a partir deste mês 450,37 euros, o que se traduz em mais 3,36 euros face à última revisão (em setembro).

Já no caso de um empréstimo nas mesmas condições (valor e prazo de amortização), mas indexado à Euribor a três meses, o cliente passou a pagar 446,68 euros, mais 2,29 euros do que pagava desde dezembro.

Estes valores foram calculados tendo em conta as médias da Euribor no mês de fevereiro, tendo sido a seis meses de -0,476% e a três meses de -0,532%.

Desde final de 2021 que acabaram as moratórias do crédito das famílias, que foram uma importante ‘folga’ para as famílias nos momentos mais agudos da crise da pandemia da covid-19.

As taxas Euribor são o principal indexante em Portugal nos contratos bancários que financiam a compra de casa. A Euribor a seis meses é a mais usada, seguida da taxa a três meses.

Desde 2015 que as taxas de juro estão em terreno negativo. Contudo, caso se concretize a alteração da política monetária é possível que as taxas Euribor subam ligeiramente e com elas a prestação dos contratos de crédito à habitação.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.