O cheque, segundo a agência noticiosa cabo-verdiana Inforpress, foi entregue a João Aqueleu Barbosa Amado, presidente da câmara municipal de Santa Catarina do Fogo, o concelho mais afetado pela erupção vulcânica que assolou a ilha entre 23 de novembro de 2014 e 08 de fevereiro deste ano.

O montante destina-se a apoiar a população deslocada de Chã das Caldeiras, planalto que serve de base aos vários cones vulcânicos e cujas duas povoações, Portela e Bangaeira, com cerca de 1.500 habitantes, foram destruídas pela lava, que cobriu também uma parcela importante de terra agrícola e equipamentos sociais e económicos.

Além do cheque, a direção do BCA renovou o protocolo de parceria que tem com a Fundação Casa das Bandeiras desde 2004 e que prevê atribuição anual de 200 mil escudos (1.820 euros) à instituição.

O agrupamento Caixa Geral de Depósitos (CGD) e Banco Interatlântico (BI, de que a CGD é também a maior acionista), detém a maior parte das ações do BCA, com 52,64% do capital total, de 1.234 milhões de escudos (12 milhões de euros).

O segundo maior acionista é a empresa de seguros Garantia, também com capitais da CGD, com 12,53%, enquanto o Instituto Nacional da Previdência Social (INPS) detém os 10% adquiridos recentemente ao Estado cabo-verdiano.

A estrutura acionista completa-se com os restantes 24,83% dispersos pelo público em geral, trabalhadores do banco e emigrantes.

JSD // VM

Lusa/Fim

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.