O chefe de Estado guineense falava hoje na abertura de uma conferência sobre eventos empresariais da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que decorre em Bissau até quinta-feira.

O encontro é coorganizado pela Confederação Empresarial da CPLP e a Câmara do Comercio, Industria, Agricultura e Serviços (CCIAS) da Guiné-Bissau.

Dirigindo-se aos empresários lusófonos presentes na sala, José Mário Vaz exortou-os a verem a Guiné-Bissau com "outros olhos", como sendo um país "aberto, seguro e determinado" a receber o investimento estrangeiro e privado.

"Para quem ainda não se deu conta, estamos precisamente no ponto exato em que o momento é adequado para a opção de investir na Guiné-Bissau. Essa opção, além de ser uma escolha racional, tem como pano de fundo oportunidades bem reais e diversificadas", notou ainda o Presidente guineense.

José Mário Vaz, que salientou ser ele mesmo um homem oriundo do setor privado, tem esta confiança sobretudo no clima de estabilidade política que disse existir no país e ainda nos resultados da recente conferência internacional com os doadores e parceiros, realizada na Bélgica.

O Presidente guineense defendeu que o setor privado dos países lusófonos deviam ir à Guiné-Bissau participar "no momento de viragem e da escrita de uma nova página" do país.

MB // VM

Lusa/Fim

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.