Na primeira mão, os minhotos venceram por 3-0, vantagem confortável que, aliado ao facto de terem vencido os quatro jogos anteriores esta época entre as duas equipas, com um 'score' de 10 golos marcados e nenhum sofrido, lhes dá o favoritismo para seguirem em frente na quinta-feira e defrontarem o Sporting no Estádio do Jamor.

Contudo, o técnico dos bracarenses, que contou com o apoio do presidente, António Salvador, na sala de imprensa, frisou que a eliminatória "está no intervalo".

"Sabemos que temos que estar em alerta máximo durante os 90 minutos e das dificuldades que vamos sentir em Vila do Conde. É normal, é o jogo do ano para eles, devemos esperar um Rio Ave forte, a querer fazer golos e logo no início do jogo, eu pensaria o mesmo. Mas não podemos abdicar dos nossos princípios, do nosso 'ADN' como equipa, e vamos lá não para empatar, mas para tentar ganhar o jogo", assegurou.

O técnico rejeitou ainda ideia de um excesso de confiança, tendo em conta os jogos anteriores disputados pelas duas equipas.

"Todos os jogos são diferentes, não podemos esquecer o passado e lembrar o que fizemos bem, mas isso não conta para nada neste jogo, que tem características diferentes. Temos a confiança normal de um grupo que sabe o que vale e do momento histórico que vive", disse.

Pedro Tiba e Pedro Santos, castigados, são ausências certas para quinta-feira, e Ruben Micael está em dúvida, devido a lesão, mas independentemente de quem jogue, Sérgio Conceição considerou que "não seria muito inteligente mudar o que quer que fosse, seria pior a emenda do que o soneto".

A equipa vem de dois maus resultados, derrota (1-0) e exibição pouco conseguida em Guimarães, e depois um empate caseiro (1-1) com o Belenenses, com muito desperdício à mistura, mas o treinador não está preocupado e lembrou que o Sporting de Braga tem sido "uma equipa com uma grande dinâmica e com um forte caudal".

"Foi um jogo menos conseguido em Guimarães, que já passou. Com o Belenenses existiram coisas que têm que se retificar, mas deixou-me muito feliz a maneira e a intensidade como encarámos o jogo. Mesmo em inferioridade numérica fomos sempre superiores", disse.

No entanto, notou que os treinadores "nunca estão satisfeitos".

"Queremos sempre mais. Se formos quartos classificados, queremos ser terceiros, se formos terceiros queremos ser segundos, se formos à final, queremos ganhá-la. Vamos ver no final da época, mas neste momento ambiciono algo mais", frisou.

Sporting de Braga e Rio Ave defrontam-se na quinta-feira, no Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde, às 20:00, jogo que será arbitrado por Duarte Gomes, de Lisboa.

Desde 1998 que o Braga não vai a uma final da Taça de Portugal, tendo então perdido com o FC Porto (3-1), sendo que o seu único sucesso na prova tem já quase 50 anos, quando, em 1966, um golo do argentino Perrichon bastou para bater o Vitória de Setúbal por 1-0.

GYS // NF

Lusa/Fim.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.